Tomba solicita retomada de serviços de caixas eletrônicos explodidos por bandidos no interior

O deputado Tomba Farias (PSB) começou seu pronunciamento nesta terça-feira (07) no Plenário da Assembleia Legislativa enaltecendo a promulgação, pela Casa, do projeto de sua autoria que isenta de multas, juros e tributos, os servidores que estão recebendo seus vencimentos com atraso. Depois o parlamentar fez um discurso destinado ao Banco do Brasil pedindo providências em relação aos serviços oferecidos à população do interior, que terminam sendo suspensos por causa da violência.

“É preciso que o superintendente do Banco do Brasil tome as devidas providências e eu cito a unidade do Banco do Brasil da Assembleia Legislativa que há sete dias está sem funcionar por causa de um defeito no caixa. Isso não é justificativa”, disse o deputado, lembrando o fim dos serviços também em municípios que tiveram os caixas eletrônicos explodidos por bandidos. Em pouco mais de um ano, segundo relembrou Tomba, bandidos explodiram caixas do Banco do Brasil em Afonso Bezerra, Pedro Avelino, Lajes, Santa do Matos, Cerro-Corá, São Paulo do Potengi, Umarizal, Tangará e São José de Campestre.

“Quero dizer que isso está virando brincadeira. Hoje foi em Caraúbas que bandidos explodiram os caixas do Bradesco e do Banco do Brasil. Onde isso vai parar?  Precisamos que a segurança seja redobrada”, cobrou o deputado Tomba Farias ao Governo do Estado.

O discurso de Tomba foi aparteado pelos deputados Getúlio Rêgo (DEM), Galeno Torquato (PSD), Larissa Rosado (PSB), Márcia Maia (PSDB) e Nelter Queiroz (PMDB), que igualmente cobraram mais segurança e mais policiamento para os municípios.

“Caraúbas hoje amanheceu estarrecida com a população sem direito aos serviços bancários; e hoje os servidores do Estado iriam receber seus salários”, afirmou Getúlio, seguido de Galeno que também se referiu aos índices de violência na região Oeste. “Nossa fronteira com a Paraíba está descoberta”, disse o parlamentar, criticando o fato do município de Campo Grande ter uma Companhia de Polícia, e Caraúbas, que tem um presídio, não dispor de uma unidade de segurança. “Isso não é só no Rio Grande do Norte, mas no país inteiro, mas temos que melhorar”, concluiu Galeno.

A deputada Larissa Rosado também alertou para a questão das fronteiras. “É importante o trabalho dos governos do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, para o fortalecimento de nossas fronteiras”, sugeriu Larissa, reforçando que em Baraúna, a Prefeitura está propondo uma parceria com os bancos para garantir monitoramento no município”. A deputada Márcia Maia também fez cobrança ao Governo do Estado para a questão da violência no interior que virou assunto recorrente quando se trata de ataques a caixas eletrônicos e agências de Correios.

O deputado Nelter Queiroz foi o último a apartear o discurso de Tomba e lembrou que “os governos passados tiveram suas culpas”, explicando que dos 365 dias do ano, um policial militar que trabalha 24 horas, folga 245 dias. “Se fizer um cálculo vai ver que o PM trabalha 120 dias por ano. Aí a culpa é do Governo Robinson?”, questionou Nelter, afirmando que governadores “barganharam esses benefícios como bandeiras de reeleição”. Segundo Nelter, é isso que faz com que hoje Caraúbas tenha só três policiais. “Isso é um absurdo e tem que ser revisto”, concluiu Nelter Queiroz.

 

Assessoria