“O RN não pode ficar fora da transposição”, diz presidente Ezequiel

A reunião que a Assembleia Legislativa promove amanhã (22), às 15h a fim de discutir a retomadas das obras do São Francisco no Eixo Norte, já conta com confirmação dos representantes de várias federações da agricultura, comércio, setor produtivo e da igreja, no RN. O assunto constantemente tem sido pauta na Assembleia, que em 2015 realizou o debate RN pela Transposição. Presidente da Assembleia, o deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) afirmou que a luta pela transposição é uma luta da Casa legislativa.

“Estamos nesta luta para que as obras do Eixo Norte sejam licitadas para beneficiar o Rio Grande do Norte, pois são apenas pouco mais de 6 Km de obras que precisam ser licitadas. É preciso urgência porque tivemos uma seca prolongada”, afirmou o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), que visitou as obras com uma comitiva parlamentar em 2015.

As águas do São Francisco devem chegar ao RN através da construção de um canal de 6,5 quilômetros de extensão, entre o reservatório Caiçaras até o engenheiro Ávidos, ambos na Paraíba e o pleito é que esta obra seja adiantada.

A água entrará em território potiguar através pelo rio Piranhas-Açu e seguirá o curso natural do afluente por dois pontos. Pelo ramal Apodi, que levará água para municípios do Alto Oeste, que inclui um projeto de construção de um canal de 113 quilômetros. O outro caminho é pelo outro ramal, o do rio Piranhas, na Paraíba, até a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no Seridó.

O impasse é que as obras do Eixo Norte estão atrasadas. Ele se constitui num percurso de cerca de 400 km, com ponto de captação de águas em solo pernambucano, próximo a Cabrobó. As águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe, até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi e Rio Piranhas-Açu, em solos paraibano e potiguar. Após isso, chega aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, ambos na Paraíba, e à Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros.

“Queremos com esta reunião, criar uma agenda positiva, que inclui visitas in loco e conversas com representantes da Câmara, Senado e Governo Federal”, afirmou o deputado Fernando Mineiro (PT). Os participantes de todas as entidades irão propor ações de luta pelas obras das águas do Rio Grande do Norte.