No Dia da Doação de Órgãos, Assembleia reforça campanha “Doe órgãos. Salve vidas”

O Dia Nacional de Doação de Órgãos é celebrado nesta quarta-feira, 27 de setembro, e tem como principal objetivo conscientizar a população sobre a importância de ser doador de órgãos, com o intuito de ajudar a milhares de pessoas que lutam por uma oportunidade de salvarem as suas vidas. Foi nesse sentido que a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte lançou, em julho, a campanha institucional e publicitária de incentivo à doação de órgãos “Doe órgãos. Salve vidas”.

“Também é missão do Poder Legislativo ações que busquem o bem estar comum através de ações para população. No Rio Grande do Norte, como em todo o Brasil, ainda predomina o desconhecimento e preconceitos sobre a doação de órgãos. Por isso, procuramos provocar uma reflexão sobre o tema”, disse o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza.

Mais da metade das famílias de potenciais doadores de órgãos no Rio Grande do Norte se recusa a liberar a doação. A quantidade está acima da média nacional, que já é alta. Enquanto que o índice nacional é de 43% de recusa familiar, no RN é de 52%.

Até o momento, o Rio Grande do Norte figura em 3º lugar no Nordeste e 8º no Brasil em registros de doações de órgãos. Já em relação aos transplantes, o estado aparece em 2º no Nordeste e 7º no Brasil em transplantes renais. No caso de córneas, 3º no Nordeste e 9º no país.

A Central de Transplantes do Estado trabalha para retomar os transplantes de fígado e coração. De acordo com a assistente social Mary Bruno, especialista no assunto e colaboradora da Central de Transplantes, atualmente só são realizadas cirurgias para pacientes com necessidade de rim e córneas.

“Existe uma demanda muito grande por esses órgãos, e hoje os pacientes precisam ser encaminhados para outros Estados. Os de fígado, por exemplo, são levados para o Ceará. Muitos pacientes são carentes, não sabem andar sequer em Natal, e ficam perdidos em cidades como Fortaleza”, explicou Mary.

Em relação a 2016, a Central registra crescimento no número de transplantes e doações. Em 2016 foram realizados 221 transplantes no RN, sendo 104 de córnea, 67 de rim e 50 de medula óssea.

Já em 2017, de janeiro a agosto, foram realizados 121 transplantes de córneas e 51 de rim no Rio Grande do Norte. No mesmo período, foram registradas 84 doações de córneas e 37 de múltiplos órgãos.

A campanha da Assembleia, veiculada em mídias tradicionais, digitais, móveis e fixas, como outdoors e back bus (ônibus), explica como pode ser feita a doação, quando é indicado e orienta a família com informações que ajudam a desmistificar o tema, como a mutilação e os custos para arcar com a doação, que não existem.

 

Assessoria

Leave a Comment