Mulher foragida há 21 anos no Brasil fazia saques mensais em banco

Lúcia de Fátima Dutra Weisz, de 61 anos, conhecida como
Lúcia de Fátima Dutra Weisz, de 61 anos, conhecida como “Viúva Negra” (Foto: Polícia Civil)

O monitoramento de saques mensais realizados por Lúcia de Fátima Dutra Weisz, de 61 anos, conhecida como “Viúva Negra”, contribuiu para que a Polícia Civil conseguisse prendê-la após 21 anos foragida. Ela era a mulher há mais tempo procurada no Brasil, segundo a corporação, e uma das suspeitas é de que o dinheiro tinha origem em pensão que deveria ser destinada ao filho.

Segundo o Departamento de Polícia Judiciária (Deinter-2), em Campinas (SP), a hipótese ainda será verificada nas apurações, com apoio de investigadores no Paraná, e deve ser relatada ao Judiciário.

Um dos policiais responsáveis pela prisão de Lúcia em Ponta Grossa (PR), na quinta-feira (5), é o mesmo que a encontrou depois do crime pela qual foi condenada a 14 anos de prisão – homicídio qualificado do marido, em Americana (SP). Nesta sexta-feira (6), ela foi apresentada à Delegacia Antissequestro de Campinas, onde prestou depoimento, e na sequência foi levada para uma cadeia no estado. A “Viúva Negra” era procurada desde 1995, quando escapou da cadeia de Sumaré.

Do Blog: A possibilidade de essa mulher ficar presa é mínima, mesmo sendo acusada de matar o marido. Ela ficou mais de 20 anos foragida da justiça e policia. Aí o crime de acordo com o Código Penal, prescreveu. Visto que o tempo de prescrição para homicídio é de 20 anos. Mesmo assim, ela pode ficar presa por receber dinheiro indevido. Mas isso será por pouco tempo, já que só responderá por delitos menores.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/mulher-foragida-ha-mais-tempo-no-brasil-fazia-saques-mensais-diz-policia.ghtml