Hermano defende união de esforços para buscar investimentos da Petrobras

A exploração dos campos de petróleo da Bacia Potiguar foi assunto de pronunciamento do deputado Hermano Morais (PMDB) na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (30). O parlamentar fez um apelo ao Governo para concentrar esforços junto a Petrobras no que se refere à reconstrução da economia através do petróleo e exploração do gás.

“A Petrobras tem reduzindo os investimentos no Rio Grande do Norte e consequentemente provocando aumento do desemprego no Estado. Uma das alternativas para resolver a diminuição dos investimentos e a desativação de postos, considerados maduros, pode ser o investimento por parte de empresas independentes para reaproveitarem esses poços”, disse Hermano Morais.

Para o deputado, pequenas empresas de exploração de petróleo independentes passaram a enxergar os campos maduros como possíveis fontes de bons negócios com consequente abertura de mercado consumidor específico. “Essa possibilidade de bons negócios precisa ser discutida, pois pode ter consequências práticas e será um caminho interessante para aliviar a crise econômica instalada no RN”.

Hermano Morais destacou ainda a estrutura da refinaria Clara Camarão, que permite o aproveitamento e refinamento através do gás ou petróleo para atender as necessidades do RN e outros estados vizinhos.

Dados detalhados pelo deputado apontam que a produção da Bacia Potiguar oscila hoje entre 60 e 70 mil barris de petróleo/dia e já chegou a produzir mais de 100 mil barris nos anos 1990. O parlamentar disse que, de acordo com o Sindicato dos Petroleiros, o investimento da Petrobras foi reduzido em pelo menos R$ 200 milhões nos últimos dois anos.

O parlamentar falou também que o município mais prejudicado é Mossoró. “Nos últimos anos a região perdeu cerca de 5 mil postos de trabalho, atingindo comércio e mercado imobiliário, onde antes existia muita gente que trabalhava nas prestadoras de serviços”.

Durante o pronunciamento, Hermano Morais falou sobre o evento que está sendo realizado no auditório do CTGás para debater os interesses em energia renovável com empresários alemães. “Não basta gerar energia eólica, nem produzir energia solar. É preciso que o Governo Federal possa fazer os investimentos necessários e não tem feito. Por isso tem prejudicado e diminuído os interesses das empresas em investir no estado. Esperamos que desse debate de hoje saiam alternativas e atrações de investimentos internacionais e nacionais”, concluiu Hermano.

Assessoria