Envio da ‘lista de Janot’ ao STF deve afetar agenda de votações

Citado em delações premiadas, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, retorna ao trabalho com foco nas reformas. Foto: Evarista Sá/AFP
Citado em delações premiadas, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, retorna ao trabalho com foco nas reformas. Foto: Evarista Sá/AFP

Mesmo diante da expectativa de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviar hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF) a lista dos pedidos de investigação contra ministros e parlamentares com base nas delações da Odebrecht, o presidente Michel Temer tentará manter o clima de normalidade e focar em agendas positivas para desviar a atenção do assunto. No Congresso, porém, a avaliação é de que as novas revelações devam afetar a agenda de votações tanto na Câmara quanto no Senado.

Entre os parlamentares, a avaliação é de que o ritmo do plenário vai depender do impacto da nova lista. No Senado, os pedidos de abertura de inquérito podem atingir nomes importantes do PMDB e do PSDB e tornar inviável a votação da segunda etapa da repatriação de recursos de brasileiros depositados ilegalmente no exterior, considerada prioritária para as unidades de Federação em crise. Também citado por executivos da Odebrecht, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou uma reunião de líderes para amanhã, a fim de definir o comando das comissões permanentes da Casa, mas abandonou a ideia de colocar em votação nesta semana o projeto sobre terceirização. “O Congresso vai precisar mostrar maturidade para separar as agendas econômica e política”, disse o líder do DEM na Câmara, deputado Efraim Filho (PB).

 

Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2017/03/13/interna_politica,693550/envio-da-lista-de-janot-ao-stf-deve-afetar-agenda-de-votacoes.shtml