Category: Policial

Criminosos explodem caixa eletrônico e invadem delegacia em Tibau

Delegacia de Tibau foi invadida por criminosos armados (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)
Delegacia de Tibau foi invadida por criminosos

Um grupo fortemente armado invadiu a cidade de Tibau, localizada na região Oeste do Rio Grande do Norte, e arrombou um supermercado, explodiu o caixa eletrônico do Banco do Brasil e ainda invadiu a delegacia e roubou as armas do policiais militares. O crime aconteceu na madrugada deste domingo (28).

De acordo com testemunhas, o gurpo era formado por cerca de dez homens. As ações aconteceram simultaneamente. Enquanto parte dos criminosos arrombava o supermercado e explodia o caixa eletrônico, outros arrombavam a delegacia. Pelo menos dois homens invadiram a delegacia e renderam um policial que havia acabado de chegar do patrulhamento.

Os criminosos levaram um fuzil e uma escopeta da Polícia Militar e quando saíram, furaram os pneus das duas viaturas que estavam no estacionamento do Pelotão da Policia Militar.

A polícia não informou o valor roubado do caixa eletrônico e do supermercado. Os criminosos fugiram.

Supermercado também foi alvo dos bandisdos em Tibau (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)
Supermercado também foi alvo dos bandisdos em Tibau (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)

Prefeito de Tangará é preso por suspeita de fraudes em licitações

maquinas

O prefeito de Tangará, Euclides Cruz, foi preso preventivamente na manhã deste sábado por suspeita de envolvimento em uma organização criminosa que fraudava licitações no município do Oeste de santa Catarina. Uma funcionária da prefeitura também teve o mandado de prisão cumprido, mas por enquanto não foram divulgadas informações sobre o caso dela.

De acordo com o promotor Joel Rogério Furtado Junior, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Lages, as investigações da Operação Patrola indicam a participação do prefeito em um esquema que direcionava licitações da venda de peças de máquinas pesadas, como patrolas.

“As investigações indicam que o prefeito, além de saber, estava envolvido no esquema”, afirmou o promotor. De acordo com Furtado, o Tribunal de Justiça expediu o mandado de prisão preventiva no fim da tarde de sexta-feira (26).

O prefeito deveria ser encaminhado ao Presídio de Videira, informou o promotor.

TCE decide que Estado pode realizar concurso para repor policiais inativos

gh

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) decidiu que o Estado do Rio Grande do Norte pode realizar concurso público para repor policiais militares que entraram na reserva ou foram demitidos, mesmo estando acima do limite legal de gastos com pessoal.

A decisão é fruto de consulta enviada à Corte de Contas pela secretária estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Kalina Leite. O processo foi relatado pelo presidente do Tribunal, conselheiro Carlos Thompson Fernandes. As perguntas formuladas dizem respeito à possibilidade de realização de concurso na área de segurança pública.

De acordo com os termos do voto, é possível realizar a reposição de policiais militares que foram para a reserva remunerada, ou foram reformados, pois essas são as formas análogas a aposentadoria do servidor público civil e a Lei de Responsabilidade Fiscal autoriza a reposição de servidores aposentados nas chamadas áreas essenciais (saúde, educação e segurança). O conselheiro entende que o termo “aposentadoria” usado na LRF “abrange a “inatividade” no serviço público, o que além da aposentadoria para o servidor público civil, inclui a reforma e a reserva remunerada para o servidor público militar”.

Ao mesmo tempo, em casos onde há “exoneração, demissão, licenciamento, exclusão a bem da disciplina, deserção, perda do posto ou graduação, etc”, é possível proceder com a reposição dos servidores. “Todas as espécies de vacância de cargo público, em particular, as do militarismo, que tenham suprimidas as suas respectivas despesas devem ser computadas para fins de reposição de pessoal nas áreas essenciais”, aponta a decisão do Tribunal. Da mesma forma, “é possível computar o cargo vago para fins de reposição, em virtude de desligamento de servidor em estágio probatório, desde que dentro do prazo”.

A decisão do TCE faz algumas ressalvas: a exceção legal não inclui os servidores das chamadas atividades-meio e “no tocante à reserva remunerada, hipótese de vacância também contabilizada para fins de reposição de pessoal, caso o militar retorne ao serviço ativo, há de se observar essa ocorrência, para fins de cálculo das efetivas vagas existentes passíveis de reposição”.

 

Do Nominuto.com

Zelotes: presidente da Gerdau prestará depoimento à Polícia Federal

f7b0f810-64c8-40ab-b172-6329c9c55afdO presidente da empresa Gerdau, André Gerdau, e mais um membro da diretoria do grupo foram alvos hoje (25) da 6ª fase da Operação Zelotes, deflagrada pela Polícia Federal (PF). Foi decretado mandado de condução coercitiva de André Gerdau, quando a pessoa é levada à delegacia para prestar depoimento e, em seguida, é liberada. O empresário não foi encontrado pela PF, mas se comprometeu a comparecer para prestar depoimento.

Segundo a delegada da PF, Fernanda Costa de Oliveira, esta fase da Zelotes nada mais é que uma individualização dos inquéritos de contribuintes que tinham sido identificados na primeira fase da operação, iniciada em março de 2015. A Zelotes investiga fraudes em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda.

Ela destacou, entretanto, que nem todos os 70 contribuintes identificados têm potencial operacional ou terão inquéritos individualizados. “Esse deflagrado hoje investiga somente os casos da Gerdau”, explicou Fernanda.

Multas

 

A Gerdau tem várias multas a serem julgadas pelo Carf, envolvendo autuações da Receita Federal por questões fiscais. “Ela [empresa Gerdau], então, celebrava contrato com escritórios de advocacia e de consultoria, que tinham contato com conselheiros do Carf e realizavam acordos para que as sentenças fossem favoráveis à Gerdau”, disse a delegada.

A suspeita é que o grupo tenha atuado junto ao Carf para evitar o pagamento de multas que chegam a R$ 1,5 bilhão. “A ação seria julgada [pelo Carf] em abril, a deflagração da operação foi em março. Então, esse prejuízo não foi efetivado”, disse.

A polícia está cumprindo 20 mandados de condução coercitiva e 18 de busca e apreensão. Segundo a Polícia Federal, foram apreendidos documentos, pendrives e computadores.

Nota da empresa

Os policiais estão realizando ações nos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, São Paulo e no Distrito Federal. São alvos das conduções coercitivas executivos da Gerdau, conselheiros e ex-conselheiros do Carf e advogados que intermediavam as negociações. Duas pessoas presas anteriormente na Operação Zelotes, José Ricardo e Alexandre Paes dos Santos, também foram ouvidas no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Em nota, a Gerdau informou que está à disposição e colaborando integralmente com as investigações da Polícia Federal. “Ressalte-se, ainda, que, com base em seus preceitos éticos, a Gerdau não concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse utilizado em pretensas negociações ilegais, repelindo veementemente qualquer atitude que possa ter ocorrido com esse fim. A Gerdau reitera, portanto, que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos”, diz a nota.

Sete são presos durante operação da Lei Seca na Zona Sul de Natal

Motorista bateu o carro ao tentar escapar da barreira (Foto: Divulgação/PM)
Motorista bateu o carro ao tentar escapar da barreira (Foto: Divulgação/PM)

Sete pessoas foram presas por dirigirem embriagadas em mais uma Operação Lei Seca realizada na madrugada desta quinta-feira (25) na Zona Sul de Natal. Foram montadas duas barreiras de fiscalização em Ponta Negra: uma na Av. Engenheiro Roberto Freire e outra na Rota do Sol.

 De acordo com o capitão Styvenson Valentim, coordenador da operação, um dos motoristas presos tentou fugir da blitz e acabou batendo o carro em um muro. Ao todo, 23 carteiras de habilitação foram recolhidas e 6 carros apreendidos.

Arte bafômetro vale (Foto: Editoria de Arte / G1)

Lei Seca
As regras da Lei Seca consideram ato criminal quando o motorista é flagrado dirigindo com índice de álcool no sangue superior ao permitido pelo Código Brasileiro de Trânsito: 0,34 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.

Nesse caso, a pena é de detenção de 6 meses a 3 anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de obter a habilitação.

Condutores autuados por esse tipo de infração pagam R$ 1.915,40 de multa,  perdem 7 pontos na carteira e têm a CNH apreendida. O valor é dobrado caso o motorista tenha cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores.

Se o bafômetro registrar um índice igual ou superior a 0,05 miligrama de álcool por litro de ar, mas abaixo do 0,34 permitido pelo Código de Trânsito, o condutor é punido apenas com multa.

No exame de sangue, o motorista será multado por qualquer concentração de álcool, e pode ser preso se tiver mais de 6 decigramas de álcool por litro de sangue.

Justiça do RN condena oito PMs por envolvimento com a ‘Viatura do Mal’

Viatura 924, a 'Viatura do Mal' (Foto: Reprodução/Rede Globo)
Viatura 924, a ‘Viatura do Mal’ (Foto: Reprodução/Rede Globo) Viatura 924, a ‘Viatura do Mal’ (Foto: Reprodução/Rede Globo)

b86894eabb5193d980339d680f3b2ee1-e1454021395706

G1 – Oito dos onze policiais militares levados a julgamento por envolvimento com a ‘Viatura do Mal’, esquema de fraudes e extorsões descoberto em Natal foram condenados pela Justiça potiguar. No último processo julgado, na manhã desta quarta-feira (24), seis PMs foram condenados por corrupção passiva. Ao todo, a soma das penas dos oito réus condenados ultrapassa os 50 anos.

As condenações são desdobramento da operação ‘Novos Rumos’, do Ministério Público do Rio Grande do Norte, deflagrada em setembro do ano passado. Ao todo, quinze PMs foram denunciados pelo MP por envolvimento com atividades criminosas durante rondas realizadas na viatura 924 do 9º Batalhão da Polícia Militar, responsável pela Zona Oeste de Natal. Segundo o MP, os policiais recebiam propina, praticavam furtos e até praticaram tortura durante o serviço. O caso foi destaque nacional no programa ‘Fantástico’, da TV Globo.

Os réus condenados na manhã desta quarta foram Anderson de Oliveira Frasseti Maia, Wilton Franco da Silva, Gutemberg Fernandes de Freitas , Antônio Marcos Oliveira Silva, Cleusivan Lima de Macedo e Jeferson Monteiro Hermínio. O juiz Jarbas Bezerra condenou os seis réus a três anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva.

Esta é a segunda condenação de Anderson Frasseti em processos ligados a operação, em um julgamento anterior, Frasseti já havia sido condenado a três anos e seis meses por corrupção passiva. Os outros condenados na operação são os soldados Damião Alves, também condenado a três anos e seis meses por corrupção passiva, e André Luiz da Silva Pereira, militar condenado a pena mais dura, 32 anos, 10 meses e 10 dias de prisão a serem cumpridos iniciaçmente em regime fechado.   

O promotor Jorge Augusto de Macêdo Tonel, que esteve a frente da promotoria no julgamento desta quarta, considerou a condenação dos réus justa. “Achei por demais justa esta condenação. Em outros processos, alguns chegaram a ser absolvidos, mas a grande maioria dos réus foram condenados”, declarou o promotor.

Ainda de acordo com Tonel, apesar da grande quantidade de condenações em primeira instância, a promotoria ainda vai discutir um possível recurso para aumentar as penas.

“Eu vou analisar [a condenação] juntamente com a  equipe de promotores que ofereceram a denúncia e vamos ver se cabe um recurso no sentido de uma dilação maior da pena”, explicou Tonel.

Insanidade mental
Do total de 15 PMs denunciados, apenas os julgamentos de 11 foram concluídos em primeira instância até o momento, porque quatro dos policiais alegaram insanidade mental.

De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça do RN, nos casos em que os réus alegam insanidade, a Justiça manda produzir laudos para comprovar a condição do réu.

No Rio Grande do Norte, as perícias são produzidas pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), no entanto, segundo a assessoria, a Justiça ainda não recebeu os laudos.

Desmembramento
O processo resultante da operação ‘Novos Rumos’ foi desmembrada em diversas ações penais. A condenação dos 8 PMs é resultado das sete ações julgadas até o momento. Apenas os julgamentos dos réus que alegaram insanidade mental ainda não foram a juri.

Condenações
André Luiz da Silva Pereira – Uma condenação
Julgado em 23/02 – Condenado a 32 anos, 10 meses e 10 dias de prisão em regime fechado por corrupção passiva, peculato-furto, receptação e violação de domicílio

Anderson de Oliveira Frasseti Maia – Duas condenações
Julgado em 03/02 – Condenado a três anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva.
24/02 – Condenado a três anos de prisão em regime semiaberto por corrupção passiva

Damião Alves da Cunha – Uma condenação
Julgado em 22/02 – Condenado a 3 anos e 6 meses de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Wilton Franco da Silva – uma condenação
Julgado em 24/02 – Condenado a 3 anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Gutemberg Fernandes de Freitas – uma condenação
Julgado em 24/02 – Condenado a 3 anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Antônio Marcos Oliveira Silva – uma condenação
Julgado em 24/02 – Condenado a 3 anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Cleusivan Lima de Macedo – uma condenação
Julgado em 24/02 – Condenado a 3 anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Jeferson Monteiro Hermínio – uma condenação
Julgado em 24/02 – Condenado a 3 anos de reclusão em regime semiaberto por corrupção passiva

Absolvidos de todas as acusações
Márcio José da Silva Martins – julgado em 22/02

Werson Magno de Carvalho – julgado em 22/02

Isaac Raphael da Cruz Dumaresq – julgado em 23/02

Hospital é assaltado; médico pede ajuda nas redes sociais

O Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, localizado na Zona Norte de natal, foi assaltado na noite desta terça-feira (23). Os bandidos estavam armados e levaram a arma do vigilante que estava no local. Tiros também foram disparado na unidade.

174699

O médico Anestesiologista Mádson Vidal relatou os momentos de tensão  através da sua conta em uma  rede social. “Estão assaltando o hospital infantil Maria Alice Fernandes,. Houve disparos de arma de fogo”, escreveu. Segundo o médico não é a primeira vez em que o hospital é assaltado e que o vigilante do local tem sua arma roubada. ” É a terceira vez que o hospital infantil Maria Alice é assaltado por bandidos que querem as armas e os coletes dos vigilantes”, disse.

 

Polícia Militar impede assalto a igreja e prende suspeito na zona Oeste

650x400_OS4V0f1gs7N9RoIlKO15

Policiais do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM) detiveram na noite desta segunda-feira (22) um homem no momento em que ele arrombava uma igreja evangélica, localizada na Avenida Bernardo Vieira, no bairro de Dix-Sept Rosado, zona Oeste de Natal.

O infrator foi visualizado por transeuntes no momento em que forçava a porta do prédio, que avisaram ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), por meio do número 190.

Uma viatura se deslocou até o local e constatou o delito e fez a condução do detido até a Delegacia de Plantão da zona Sul de Natal, para o registro da ocorrência.

Três pessoas são assassinadas dentro de bar

174687 (1)

 

Três homens foram assassinados a tiros na manhã desta terça-feira (23) em um bar na cidade de Parnamirim, na Grande Natal. De acordo com a Polícia Militar, uma mulher foi baleada no rosto e socorrida ao hospital. Ninguém foi preso.

O crime aconteceu por volta das 5h30 no bar Caju e Brasa, que fica no bairro de Cajupiranga. Três homens chegaram ao estabelecimento em duas motocicletas. Segundo a PM, houve uma discussão e os criminosos atiraram contra as três vítimas, que morreram no local. Uma mulher acabou sendo baleada no rosto e foi socorrida.

Uma equipe do Instituto Técnico-Científico de Polícia do estado (Itep) foi até o local para recolher os corpos e informou que o crime tem características de execução

Preso é assassinado dentro da maior penitenciária do RN

Penitenciária Estadual de Alcaçuz (Foto: Ricardo Araújo/G1)
Penitenciária Estadual de Alcaçuz
(Foto: Ricardo Araújo/G1)

Um detento foi assassinado na noite desta segunda-feira (22) dentro da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte. Diretor da unidade, Ivo Freire disse que o crime aconteceu no pavilhão 1, de onde dois presos fugiram por um túnel neste domingo (21). “A Polícia Civil e o Itep (Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) já foram avisados”, acrescentou.

Ainda de acordo com o diretor, a identificação do preso só será possível após a retirada do corpo. “Também só teremos a confirmação do que causou a morte dele quando for feita a perícia. Só sabemos que há bastante sangue”, ressaltou.ão

 

Mortes em presídios
Este foi o terceiro detento morto este ano no sistema prisional potiguar. No sábado passado, dia 20, Damião Fernandes dos Santos, de 36 anos, foi assassinado durante uma rebelião na Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró, cidade da região Oeste potiguar. No dia 21 de janeiro, Gledson Souza Saraiva, preso por assalto, foi encontrado pendurado pelo pescoço dentro da cela 5 do pavilhão 2 da Cadeia Pública de Mossoró.

Ano passado, 28 morreram dentro de unidades carcerárias do RN. Deste total, 25 foram assassinados a facadas ou encontrados enforcados, mortos em condições suspeitas. Outros dois morreram soterrados após o desabamento de um túnel na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. E, no início de 2015, um adolescente morreu ao ser baleado em uma unidade para cumprimento de medida socioeducativa durante uma tentativa de resgate no Ceduc de Caicó. Os números são da Coordenadoria de Análises Criminais da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

[/mmtl-col][/mmtl-row]

Traumatismo cranioencefálico causou morte de professor da UFRN, diz Itep

diogo

O professor substituto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal doRio Grande do Norte, Diogo Rosembergh da Silva Nóbrega, de 26 anos, morreu em razão de um traumatismo cranioencefálico de ação contundente. Ou seja, foi vítima de uma agressão que causou fratura no crânio e dano físico ao cérebro. É o que aponta o resultado da perícia realizada pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) – cujo laudo foi divulgado pelo órgão no início da noite desta segunda-feira (22). O corpo de Diogo foi encontrado na manhã do domingo (21) debruçado sobre pedras em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul da GrandeNatal.

A perícia descarta a possibilidade de afogamento, mas não aponta se o professor foi assassinado ou cometeu suicídio. Delegado da 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim, Marcel Gouvêa disse que só deve dar início às investigações na manhã desta terça (23), depois que analisar o inquérito instaurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, a DHPP.

Foi o delegado Marcos Vinícius, da DHPP, quem esteve no local onde o corpo foi encontrado. Isso aconteceu porque as delegacias distritais da Grande Natal não funcionam nos finais de semana e feriados. “Estava vestido só de cueca, com uma camisa polo e meias. O corpo apresentava muitos hematomas. Também havia ferimentos nos braços, pernas e afundamento craniano”, descreveu.

 

Do G1

Corpo de jovem encontrado em praia é de professor da UFRN

diogo

O corpo encontrado em meio às falésias na praia de Cotovelo, na Grande Natal, neste domingo (21) é do professor de Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Diogo da Silva Nóbrega, de 26 anos. A informação foi confirmada pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep).

Populares que encontraram o corpo relataram que ele estava só de cueca, uma camisa polo e meias. A cueca estava rasgada na parte de trás e o corpo apresentava muitos hematomas. Também havia ferimentos nos braços e pernas e afundamento craniano.

Delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marcos Vinícius foi ao local onde o corpo foi encontrado. Ao G1, ele disse que ainda não é possível determinar se o homem foi assassinado (tendo sido morto em meio às pedras ou mesmo empurrado do alto da falésia), se cometeu suicídio ao saltar do penhasco ou até mesmo se morreu afogado. “Percebemos fraturas nos baços e nas pernas, e havia um trauma muito grande na cabeça”, acrescentou.

“Quem vai apontar a causa da morte é a perícia técnica. Mas, podemos dizer que é um caso muito estranho. Próximo ao corpo havia um paralelepípedo, que também pode ter sido usado para causar o afundamento do crânio. Enfim, ainda é cedo para dizer o que houve”, finalizou.

 

Do G1

Marqueteiro João Santana tem prisão decretada na 23ª fase da Lava Jato

G1 – A Polícia Federal (PF) deflagrou a 23ª fase da Operação Lava Jato nesta segunda-feira (22). Foi expedido um mandado de prisão temporária contra o publicitário baiano João Santana, que foi marqueteiro das campanhas da presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006.

Santana ainda não foi preso. Segundo a assessoria dele, o publicitário está na República Dominicana. Também foi decretada a prisão da mulher dele, Monica Moura. Ela afirmou que o casal voltará ao país assim que for notificado oficialmente.

Investigadores rastrearam supostos pagamentos ilegais no exterior em conta secreta de João Santana provenientes daOdebrecht e do engenheiro Zwi Skornicki. A suspeita é que o pagamento veio de serviços eleitorais prestados ao PT.

Esta etapa da Lava Jato é chamada de Operação Acarajé, que era o nome usado pelos suspeitos para se referir ao dinheiro irregular, segundo a PF. Ao todo, foram expedidos 8 mandados de prisão.

Skornicki é um dos presos preventivamente. Ele foi detido nesta manhã no Rio de Janeiro. Segundo as investigações, o engenheiro era o representante oficial no Brasil do estaleiro Keppel Fels e operava propinas no esquema daPetrobras investigado pela Lava Jato.

Agentes federais foram a escritórios da Odebrecht, em São Paulo, no Rio e na Bahia. Eles estão desde as 6h no prédio da empresa na capital paulista, e os funcionários foram liberados do trabalho. O ex-presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, é réu da Lava Jato e está preso em Curitiba desde junho de 2015.

Agentes da PF estiveram na sede da Odebrecht Oléo e Gás, em Botafogo, Zona Sul (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)
Agentes da PF estiveram na sede da Odebrecht em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro (Foto: Alba Valéria Mendonça/G1)

 

A PF busca tirar a trava de segurança de informações criptografadas que foram apreendidas na 14ª fase da operação. Cinco peritos auxiliam a PF para que os agentes consigam sair com os dados liberados.

Em nota, a Odebrecht confirma operação da PF em seus escritórios para o cumprimento de mandados de busca e apreensão. “A empresa está à disposição das autoridades para colaborar com a operação em andamento”, diz o texto.

PF age em condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio, na manhã desta segunda. (Foto: Reprodução/TV Globo)
PF age em condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio, na manhã desta segunda. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Suspeitas contra João Santana
O publicitário é alvo da Lava Jato porque os investigadores têm indícios suficientes de que ele possui contas no exterior, com origem não declarada. João Santana começou a ser investigado em um inquérito sigiloso depois que a PF apreendeu, na casa de Zwi Skornicki, um manuscrito atribuído à mulher de João Santana indicando contas dele fora do país. A informação sobre a apreensão foi revelado pela revista “Veja”.

Quando a denúncia foi publicada, a empresa de Santana, Pólis Propaganda & Marketing, divulgou uma nota negando caixa 2. “O grupo recolhe todos os impostos devidos”, diz o texto, que afirma ainda que a empresa jamais se envolveu “em nenhum tipo de ação ilegal”.

“O Grupo Pólis possui agências autônomas no Brasil, e em outros países. As empresas  funcionam de forma independente, operacional e financeiramente. Não há trânsito de recursos entre elas. Valores recebidos de campanhas brasileiras sempre foram pagos no Brasil, e valores recebidos por campanhas no exterior foram pagos no exterior, seguindo as regras e a legislação de cada país”, afirma a nota.

O publicitário João Santana, em foto de maio de 2012 (Foto: Alexandro Auler/Estadão Conteúdo/Arquivo)
O publicitário João Santana, em foto de maio de 2012 (Foto: Alexandro Auler/Estadão Conteúdo/Arquivo)

Além de marqueteiro das campanhas, Santana chegou a ser conselheiro da presidente Dilmaem várias decisões de governo, chamado a participar de reuniões decisivas, com voz de influência em debates políticos no primeiro escalão.

Santana assumiu o marketing eleitoral de Lula depois que o publicitário Duda Mendonça foi citado no mensalão. Duda foi absolvido em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com a polícia, as investigações desta etapa apontam para o pagamento de vantagens ilícitas por um grupo empresarial a outro grupo. Segundo a PF, os pagamentos, de cerca de mais de US$ 7 milhões, foram recebidos em contas no exterior.

Suspeitas contra Zwi Skornicki
De acordo com as investigações, o engenheiro Zwi Skornicki era o representante do estaleiro Keppel Fels. Os procuradores da República que fazem parte da força-tarefa da Lava Jato afirmam que Skornicki era responsável por repasses ao PT por meio do ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto, preso desde 2015.

No acordo de delação premiada, o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco afirmou que Skornicki continuou pagando suborno a Renato Duque mesmo depois de o ex-diretor ter saído da Petrobras. Ao todo, contou o ex-gerente, o representante da Keppel Fels teria pago US$ 14 milhões.

O Ministério Público Federal (MPF) indica que Skornicki fez pagamentos ao PT e a Eduardo Musa, representante da Sete Brasil.

Ainda segundo o MPF, ficaram comprovadas, por meio de prova documental, as transferências feitas no exterior a partir da conta de Skornicki para contas controladas por funcionários da Petrobras. Segundo os colaboradores, os pagamentos foram feitos em benefício de contratos bilionários feitos pela empresa Keppel Fels com a Petrobras e Sete Brasil.

Mandados

A 23ª fase da Lava Jato tem 51 mandados ao todo, sendo 38 são de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 6 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva – quando os presos são obrigados a prestar depoimento.

Participam da ação 300 homens da PF. Na Bahia, a operação é realizada nas cidades de Salvador e Camaçari. No Rio de Janeiro, na capital, em Angra dos Reis, Petropolis e Mangaratiba. Em São Paulo, além da capital, a operação foi às cidades de Campinas e Poá.

A prisão temporária tem prazo de 5 dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida em preventiva, que é quando o investigado fica preso à disposição da Justiça sem prazo pré-determinado. Os presos serão levados para a Superintendência da PF, em Curitiba.

Agentes da Polícia Federal fazem buscas na sede da Odebrecht em São Paulo, durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de 'Acarajé' (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Agentes da Polícia Federal fazem buscas na sede da Odebrecht em São Paulo, durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de ‘Acarajé’ (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Maior penitenciária do RN registra nova fuga de detentos, diz direção

cartão-pronto2 - Copia - CopiaA Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior unidade prisional do Rio Grande do Norte, registrou uma nova fuga na noite deste domingo (21). A informação foi confirmada pelo diretor Ivo Freire. Um túnel foi encontrado aberto ao lado do Pavilhão 1.

Ivo Freire, diretor da penitenciária, informou que ainda não sabe quantos detentos conseguiram fugir e que uma recontagem será feita na manhã desta segunda-feira (22). “Faremos uma recontagem com o apoio dos agentes do Grupo de Operações Especiais e do Batalhão de Choque da Polícia Militar”. O túnel foi encontrado entre as guaritas 8 e 9, ao lado do Pavilhão 1.

Ainda de acordo com a direção, são 300 detentos no Pavilhão 1. Ao todo, a penitenciária tem 1.100 presos. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, município da Grande Natal.

Túnel foi encontrado ao lado do Pavilhão 1. (Foto: Divulgação/PM)
Túnel foi encontrado ao lado do Pavilhão 1 (Foto: Divulgação/PM)

 

Corpo é encontrado em meio às falésias da praia de Cotovelo, no RN

Corpo foi encontrado em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul potiguar (Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi)
Corpo foi encontrado em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul potiguar (Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi)

O corpo de um homem ainda não identificado, vestido apenas com cueca, uma camisa polo e meias, foi encontrado na manhã deste domingo (21) debruçado sobre pedras em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul da Grande Natal.

Populares que encontraram o corpo relataram que a cueca estava rasgada na parte de trás e que o corpo apresentava muitos hematomas. Também havia ferimentos nos braços e pernas e afundamento craniano.

Delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marcos Vinícius foi ao local onde o corpo foi encontrado. Ao G1, ele disse que ainda não é possível determinar se o homem foi assassinado (tendo sido morto em meio às pedras ou mesmo empurrado do alto da falésia), se cometeu suicídio ao saltar do penhasco ou até mesmo se morreu afogado. “Percebemos fraturas nos baços e nas pernas, e havia um trauma muito grande na cabeça”, acrescentou.

“Quem vai apontar a causa da morte é a perícia técnica. Mas, podemos dizer que é um caso muito estranho. Próximo ao corpo havia um paralelepípedo, que também pode ter sido usado para causar o afundamento do crânio. Enfim, ainda é cedo para dizer o que houve”, finalizou.

Apesar de a DHPP ter iniciado a investigação, o caso será apurado pela 1ª Delegacia deParnamirim.

Corpo foi encontrado em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul potiguar (Foto: Anderson Barbosa/G1)
Falésias também são bastante visitadas por turistas (Foto: Anderson Barbosa/G1)