Category: Saúde

Veja de novo: Planta está curando doentes de câncer em Natal/RN

Esta matéria foi publicada em 2016. Pela repercussão da notícia resolvemos republicá-la de novo.

Segundo relatos de vídeos gravados e publicados no Youtube, a planta Crajiru (Arrabidaea China) é um grande remédio para a cura do câncer.

As indicações são do proprietário da empresa Viveiro Marina, que fica localizado à Rua São José, no bairro de Lagoa Nova, Natal-RN,  entre a Rua Amintas Barros e a Rua Miguel Castro.

Ele tem interesses de que muita gente procure essa planta que foi trazida de Manaus, Amazonas.

Segundo o vídeo qualquer pessoa pode passar no local, acima indicado, e pegar mudas gratuitamente.

Seu chá tanto pode ser utilizado para higiene íntima, com lavagens, como também pode ser ingerido agindo como um anti-inflamatório natural. O chá é preparado das verdes folhas do crajiru e transforma-se num chamativo líquido vermelho.

Algumas tribos preparam uma infusão das folhas, utilizando-a no tratamento contra conjuntivite aguda.

Também é um forte aliado no combate à anemia, por sua grande concentração de ferro.

Largamente utilizada contra as seguintes doenças: adstrigente, afeção da pele, afrodisíaca, albuminúria, anemia, antidisenterica, anti-úlcera, bactericida, catarro do intestino, cólica intestinal, conjuntivite, diabetes, diarreia, diarreia de sangue, emoliente, espectorante,ferida, fortificante, Hemorragia, icterícia, inflamação, inflamação no útero, Leucemia.

As folhas submetidas à fermentação e manipuladas com a anileira fornecem um corante vermelho-escuro. Esse corante, há tempos, é utilizado pelos índios para pintura de seus corpos e utensílios.

Resultado de imagem para crajiru e Natal RN

Contato: 

Viveiro Marina

Endereço: R. São José, 2012, Lg Nova | Natal-RN
Entre a R. Amintas Barros e R. Miguel Castro / 
Telefone:  (84) 3234-4850 
E-mail: 
fale@viveiromarina.com.br

Quadrilha dos EUA vendia material descartável reutilizado em hospitais no ES, diz polícia

Reprodução da TV Globo/Fantástico 

A ‘Operação Lama Cirúrgica’, que investiga a falsificação e fornecimento de materiais hospitalares descartáveis reutilizados em um hospital particular na Serra, Grande Vitória, apontou uma quadrilha dos Estados Unidos como responsável pela venda dos produtos à empresa Golden Hospitalar.

Dois empresários e um enfermeiro foram presos, suspeitos do esquema, no dia 16 de janeiro. As investigações apontam que os produtos que deveriam ser usados apenas uma vez foram reutilizados 2.536 vezes.

Foi descoberto, ainda, o envolvimento de uma terceira empresa, a Esterileto, contratada pela Golden para esterilizar os produtos.

“Há envolvimento de médicos, de empresários, empresas que vendem esses materiais e são utilizados em cirurgias ortopédicas, de enfermeiros, instrumentadores, que utilizam, basicamente, materiais cujo reuso é proibido”, falou o secretário de Segurança Pública, André Garcia.

Fonte: https://g1.globo.com/es/espirito-santo/noticia/quadrilha-dos-eua-vendia-material-descartavel-reutilizado-em-hospitais-no-es-diz-policia.ghtml

Órgãos de saúde confirmam presença de parasita transmissor da Doença de Chagas em açaí

Resultado de imagem para Açai
Fonte: da Internet

Após análises em laboratório, a Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado e a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonascomprovaram a presença do parasita Trypanosoma cruzi na amostra de açaí consumida pela família que contraiu Doença de Chagas, no município de Lábrea.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, essa é a primeira vez que é comprovada cientificamente a presença do parasita no alimento no Amazonas. Antes, a confirmação era feita por associação.

A análise só foi possível porque a equipe de vigilância em saúde conseguiu recuperar as amostras de açaí que ainda estavam disponíveis junto ao fornecedor.

Até o momento, há 10 casos confirmados de Doença de Chagas contraída por via oral, ou seja, por meio de alimento contaminado pelo barbeiro ou pelas fezes do inseto.

De acordo com a Susam, a Fundação de Vigilância Sanitária Amazonas está reforçando as campanhas de conscientização dos produtores em relação às boas práticas de higiene na produção de alimentos com matéria-prima da floresta.

Clique no player acima e ouça o Repórter Nacional – Amazônia.

 

 

Fonte: http://radios.ebc.com.br/reporter-nacional-amazonia/2018/01/orgaos-de-saude-do-amazonas-confirmam-presenca-de-parasita

Celular antes de dormir afeta sono, hormônios e desenvolvimento infantil

Resultado de imagem para Celular
Foto: da Internet

Crianças que têm acesso a eletrônicos, como celulares e tablets, na hora de dormir, estão sujeitas a desenvolver uma série de problemas de comportamento e de saúde.

Uma pesquisa do King’s College, de Londres, reuniu dados de 125.198 crianças e adolescentes entre 6 e 19 anos de idade, em diversos países, e detectou efeitos negativos do uso do aparelho no período de descanso em diferentes graus de gravidade. Os pesquisadores verificaram de má qualidade do sono a doenças como obesidade e depressão infantil.

O modo como os jovens têm usado a tecnologia têm sido diversos e cada vez mais intenso, segundo o estudo do King’s College. E, para cada uso, há variados impactos gerados na vida deles.

A médica Roberta Magalhães, no Rio de Janeiro, quase todos os dias precisa chamar a atenção da filha Roberta, de 9 anos, para desligar o celular na hora de dormir.

“Com certeza atrapalha. Ela fica horas navegando na internet, no Instagram, WhatsApp, Musical.ly, assistindo vídeos no YouTube. Depois demora a dormir. Fica rolando na cama”, conta.

 

Fonte: https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/celular-antes-de-dormir-afeta-sono-hormonios-e-desenvolvimento-infantil,0d7baa616c0c0fc2b78705d67dbe2c0cr4yu3o5t.html

Gêmeos nascem em anos diferentes no Hospital de Clínicas

(Foto: Jairo Nascimento / Rede Massa) - Gêmeos nascem em anos diferentes no Hospital de Clínicas
(Foto: Jairo Nascimento / Rede Massa)

A vendedora Michele Ferreira Maciel Ribeiro tem agora filhos da mesma idade, mas nascidos em anos diferentes. A primeira mãe de 2018 em Curitiba passou por uma experiência diferente ao dar à luz gêmeos no Hospital de Clínicas.

Samuel nasceu às 23h44 do dia 31 de dezembro de 2017, com 2,810 quilos e 47 centímetros; já Sara, o segundo bebê, chegou às 0h06 dessa segunda-feira, 01 de janeiro  de 2018, com 2,755 quilos e 48 centímetros. Os gêmeos nasceram após 38 semanas de gestação, em parto normal.

A diferença de tempo entre os nascimentos foi de 22 minutos. Um fato possivelmente comum que antes de termos uma comunicação tão rápida, como a da internet, o WhatSapp,  ficava apenas entre a vizinhança dos pais.

Mãe e bebês passam bem.

 

Fonte: https://massanews.com/noticias/plantao/gemeos-nascem-em-anos-diferentes-no-hospital-de-clinicas-vzlO5.html

Farmácias e drogarias já estão autorizadas a aplicar vacinas

Resultado de imagem para Vacina
Foto: da Internet

Farmácias e drogarias de todo o país já estão autorizadas a vacinar usuários em seus estabelecimentos. A regra passou a valer nesta quinta-feira (28/12), com a publicação, no Diário Oficial da União, da Resolução nº 197/2017 da Anvisa.

O documento esclarece as unidades interessadas no serviço e traz as normas para adequação de ambientes, procedimentos e profissionais, visando a obtenção das autorizações para vacinar pessoas.

Dentre as normas estabelecidas pela resolução, estão a exigência de inscrição no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), disponibilizar o calendário nacional de vacinação e os tipos de medicamentos disponíveis aos clientes.

Outro requisito é o de possuir, no estabelecimento, sala especial com o aparato para aplicar medicamentos de imunização. Obrigatória também é a presença de profissional habilitado ao manuseio e aplicação das vacinas.

 

Fonte: https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/farmacias-e-drogarias-ja-estao-autorizadas-aplicar-vacinas-113659/

Suplemento de cálcio e vitamina D não reduz fraturas, diz estudo

Vitamina D
A recomendação de especialistas é obter esses nutrientes de forma natural por meio do consumo de laticínios e da exposição solar, para alcançar melhores resultados ósseos. (iStock/Getty Images)

Da Veja

Ao contrário do que se acredita, suplementos de cálcio e vitamina D não diminuem o risco de fraturas em idosos. De acordo com uma revisão de 33 estudos anteriores sobre o assunto, publicada na terça-feira no periódico científico JAMA, as evidências encontradas não suportam a associação entre a suplementação desses nutrientes e uma redução no risco de quebra no quadril, a espinha e em outras partes do corpo.

É comum que médicos receitem suplementos de vitamina e cálcio aos pacientes idosos para a manutenção da saúde óssea. Entretanto, para Jia-Guo Zhao, pesquisador do departamento de cirurgia ortopédica do hospital Tianjin, na China, e autor do estudo, os resultados mostram que nada substitui efetivamente um estilo de vida saudável na terceira idade. “É hora de idosos pararem de tomar suplementos de cálcio e vitamina D. Nós acreditamos que melhorar o estilo de vida, fazendo mais exercício, tomando mais sol e fazendo ajustes na dieta, pode ser mais importante que tomar suplementos”.

Justiça proíbe dentistas de aplicar botox em pacientes

Foto: da Internet

André Richter – Repórter da Agência Brasil
A Justiça Federal no Rio Grande do Norte concedeu liminar para proibir a aplicação de botox e preenchedores faciais para fins estéticos por dentistas. A decisão, assinada nesta sexta-feira (15/12), atendeu a um pedido cautelar feito pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC) contra o Conselho Federal de Odontologia (CFO).

Na ação, a SBPC alegou que o uso da toxina botulínica (botox) e do ácido hialurônico para procedimentos estéticos invasivos na face extrapola a área de atuação dos dentistas, por tratar-se de atribuição dos profissionais formados em medicina. Além disso, a conduta coloca os pacientes em risco, segundo a entidade.

Ao decidir a questão, a juíza Moniky Mayara Costa Fonseca, da 5ª Vara Federal em Natal, concordou com os argumentos e decidiu suspender a Resolução 176/2016, do CFO, que permitiu os procedimentos estéticos.

A magistrada entendeu que a norma invade os limites legais da área de atuação dos médicos, mesmo advertindo os dentistas de que os procedimentos devem ser realizados dentro da área anatômica de sua especialidade.

“A regulamentação infralegal impugnada, ao possibilitar aos profissionais de odontologia, cuja formação não visa à realização de atos médicos, o exercício dos atos privativos dessa categoria profissional, põe em risco a saúde da população”, decidiu a juíza.

Aplicativo potiguar de consultas médicas passa por seleção de investimentos internacionais

O aplicativo Bomédico, desenvolvido pela empresa potiguar Global Gapps Markerting, que facilita o agendamento de consultas médicas, participará de uma banca com investidores que poderá expandir o negócio para fora do país. O app foi classificado neste final de semana durante mais uma rodada do InovAtiva Brasil,  maior programa de aceleração para negócios inovadores do país, que já impulsionou aplicativos como o iFood.
O diretor da Global Gapps, Rilton Campos, disse estar feliz com a solução e lembrou que o aplicativo potiguar tem a vantagem de já estar em prática. “Muitos dos classificados ainda estão na fase da ideia. E a gente já está no mercado. É muito gratificante saber que temos um aplicativo potiguar com essa possibilidade de ser projetado no mercado internacional”, contou.
O aplicativo faz parte de uma plataforma de agendamento e gerenciamento de consultas que tem por objetivo promover uma maior agilidade na marcação, no gerenciamento das consultas e no relacionamento com os pacientes, reduzindo o tempo de espera nas consultas. Entre os benefícios diretos para os médicos estão: a disponibilidade da agenda, aumento na participação do mercado, criação de um canal de relacionamento direto com os pacientes (via atendente), preenchimento e organização da agenda, aumento do número de atendimentos e a redução dos custos administrativos.
O Programa de Aceleração InovAtiva é realizada pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com execução da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi).

Número de pessoas com demência deve triplicar nos próximos 30 anos, diz OMS

Custo da doença também vai aumentar nos próximos anos, diz OMS  (Foto: Julim6/Pixabay/Creative Commons)
Custo da doença também vai aumentar nos próximos anos, diz OMS (Foto: Julim6/Pixabay/Creative Commons)

O número de indivíduos vivendo com demência deve triplicar até 2050, divulga nesta quinta-feira (7) um relatório da Organização Mundial da Saúde sobre a condição. Dos 50 milhões atuais, o mundo terá 152 milhões de pessoas convivendo com a doença nos próximos trinta anos.

Hoje, em torno de 10 milhões de pessoas são diagnosticadas com a doença por ano — e a maioria delas vive em países com menos recursos financeiros nos sistemas de saúde. Segundo a OMS, 6 milhões dos novos casos atuais ocorre em regiões de baixa e média renda.

O número de acometidos ainda pode ser maior, diz a OMS, já que os dados divulgados correspondem à contribuição de 21 países. A entidade espera que até o final de 2018 em torno de 50 países contribuam com os dados para um melhor cenário sobre a prevalência global da doença.

O relatório aponta ainda que o custo anual com a condição está em torno de US$ 818 bilhões. A estimativa foi calculada levando-se em conta não só os gastos com saúde, mas também a perda de renda de doentes e cuidadores — que muitas vezes deixam o trabalho para cuidar de familiares.

Ainda, segundo o documento, os gastos vão mais que duplicar até 2030 — quando devem alcançar a marca de US$ 2 trilhões — “um custo que poderia prejudicar o desenvolvimento social e econômico e sobrecarregar a saúde e os serviços sociais”, diz nota da entidade.

Fonte: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/numero-de-pessoas-com-demencia-deve-triplicar-nos-proximos-30-anos-diz-oms.ghtml

Especialistas defendem prevenção à aids com métodos combinados

Resultado de imagem para HIV no brasil
Foto: Internet

A prevenção à aids inclui uma série de métodos que vão além das camisinhas masculina e feminina. Entre eles, os medicamentos das profilaxias pré-exposição (PrEP) e pós-exposição (PEP), que estão entre os mais eficazes para proteger homens que fazem sexo com homens – parcela da população em que a doença mais avança. O número é maior ainda entre os meninos de 15 anos a 19 anos que são gays ou fazem sexo com homens, conforme dados mais recentes do Ministério da Saúde.

Reunidos em congresso da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia), no Rio de Janeiro, na última semana, especialistas defenderam que campanhas de prevenção desmistifiquem práticas sexuais e tratem de identidades de gênero e sexualidades.

A pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Vera Paiva, que participou do evento, lembrou que os jovens, independentemente de religião, iniciam a vida sexual aos 14 anos e precisam de informação antes disso. De 2006 a 2016, a prevalência da infecção aumentou 140%, entre jovens do sexomasculino, com idades entre 18 e 25 anos. No caso das meninas, a prevalência é menor, mas preocupa o crescimento da taxa entre as mais jovens, na faixa de 15 a 19 anos.

Além da camisinha, os especialistas defendem a ampliação da disponibilização da PrEP,  que será distribuída pelo governo a grupos específicos a partir da semana que vem.
Apesar de a iniciativa ter sido comemorada, pesquisadores alertaram que a forma de distribuição das pílulas poderá significar uma mudança na política de combate à aids, pois não bastará qualquer pessoa ir ao posto de saúde e solicitar o tratamento pré-exposição.

“Tenho pensado qual a primeira política de HIV e aids no Brasil que não tenha sido universal, nesses anos todos”, questionou o sociólogo Alexandre Grangeiro, que já foi diretor do Programa Nacional de DST/Aids. “Talvez, a PrEP  seja a primeira delas”, disse.

Segundo Grangeiro, que atualmente é pesquisador do Departamento de Medicina Preventiva da USP, a maior parte da população brasileira faz “sexo na pele”, ou seja, sem preservativo. “Estamos voltando ao sexo na pele, se é o sexo na pele que a população quer, qualquer método de prevenção existente, que afirme essa possibilidade fazer o sexo na pele, é um método bem-vindo”, defendeu.

A partir da semana que vem, o Ministério da Saúde distribuirá 3,6 milhões de PrEP, durante um ano, de maneira gradativa e gratuita, em serviços de saúde de 22 municípios. As pílulas só serão distribuídas a grupos considerados chaves, como homens que fazem sexo com homens, gays, pessoas trans, profissionais do sexo e casais sorodiscordantes. O uso das pílulas será sob acompanhamento.

 

Leia Mais!

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-12/especialistas-defendem-prevencao-aids-com-metodos-combinados

Assembleia promove solenidade alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

Resultado de imagem para Em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS,
Foto: Internet

Em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, comemorado anualmente em 1º de dezembro, a Assembleia Legislativa irá promover nesta terça-feira (5), às 9h, sessão solene para homenagear entidades e personalidades com destacada contribuição à causa. A solenidade é uma propositura da deputada Larissa Rosado (PSB) e visa reconhecer o trabalho prestado na luta contra a doença.

Segundo a parlamentar, o Dia Mundial da Luta Contra a AIDS dá a oportunidade para que a infecção por HIV seja colocada em pauta, além de evocar as atividades de luta já em curso e encorajar novas iniciativas. “Diante do importante papel desempenhado por essa data, entendemos como justa e merecida a realização desta sessão, ocasião para homenagearmos as pessoas e entidades que prestam relevantes serviços na luta contra a AIDS no RN”, argumenta Larissa.

De acordo com tabela divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o Rio Grande do Norte registrou no ano de 2014, um total de 296 casos de AIDS. Em 2015, o número praticamente dobrou para 522 e, no ano seguinte, os registros foram de 605 casos.

O Dia Mundial da Luta Contra a AIDS foi instituído por decisão da Assembleia da Organização Mundial da Saúde, realizada em outubro de 1987, com apoio da ONU. No Brasil, a data passou a ser adotada em 1988.

Durante a solenidade, serão homenageados: Hospital Rafael Fernandes; João Bosco Lima; Maria da Saudade de Azevedo; Kelly Escócia Formiga; Wilson Dantas Sobrinho; Juliane Dantas de Faria; Juliska Azevedo; George Antunes; João Bosco Filho; Maria de Lima Alves; Sergio Fabiano Cabral; Irami Araújo; Maria José Sabino; Gina Monte; e Esdras Gurgel.

Mulher morre após receber injeção de antibiótico em São Sebastião, no DF

Resultado de imagem para benzetacil no musculo
Foto: Internet

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal investiga a morte de uma mulher ocorrida nesta quarta-feira (29) após a aplicação do antibiótico benzetacil por uma técnica de enfermagem em uma casa alugada em São Sebastião. No local ocorrem os atendimentos da Estratégia Saúde da Família (ESF). Os membros da equipe alegam que o espaço não tem estrutura suficiente, como equipamentos de reanimação.

Segundo o governo do DF, todas as unidades do Saúde da Família funcionam em casas alugadas, seguindo recomendação do Ministério da Saúde.

A paciente tinha febre reumática e, por causa da doença, sofria de problemas cardíacos. Ela chegou a ser operada neste ano para substituição de uma válvula e, durante o procedimento, teve uma parada cardíaca.

“No atendimento prestado nesta quarta-feira, a paciente, que já faz uso de penicilina benzatina para tratamento da doença, teve uma parada cardiorrespiratória após tomar o medicamento”, disse a secretaria. A pasta afirma ainda não ser possível determinar qual fator causou a morte.

Fonte: https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/mulher-morre-apos-receber-injecao-de-antibiotico-em-casa-alugada-pelo-gdf.ghtml

RN é o Estado com mais surto de dengue, zika e chikungunya

Mosquito Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika e chikungunya (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)
Mosquito Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika e chikungunya (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes Aegypti (LIRAa) indica 357 municípios brasileiros em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya. Isso significa que mais de 9% das casas visitadas nestas cidades continham larvas do mosquito. A maior parte dessas cidades, um total de 97, fica no Rio Grande do Norte. Ou seja, o estado potiguar tem mais de 58% dos seus municípios em situação de risco.

Das 167 cidades do RN, 165 enviaram os dados para o estudo. Destas, 22 tiveram desempenho satisfatório (13,3%), 73 estão em alerta (44,24%) e 97 em risco (58,08%).

No total, 3.946 municípios de todo o país fizeram o levantamento. Os dados foram apresentados pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (28), em Brasília. Na ocasião, também foi lançada a campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/rn-e-o-estado-com-mais-cidades-com-risco-de-surto-de-dengue-zika-e-chikungunya-diz-ministerio-da-saude.ghtml

Pesquisas testam ayahuasca no tratamento de depressão e alcoolismo

Imagem tirada em fevereiro de 1999 de uma liana Ayahuasca em Tarapoto, no nordeste da selva do Peru (Foto:  Jaime Razuri/AFP/Arquivo)
Imagem tirada em fevereiro de 1999 de uma liana Ayahuasca em Tarapoto, no nordeste da selva do Peru (Foto: Jaime Razuri/AFP/Arquivo)

Uma pesquisa desenvolvida no Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte testou a ayahuasca como antidepressivo, e obteve resultados iniciais positivos em pessoas que apresentam quadro de depressão. A solução psicoativa é usada comumente em cerimônias religiosas, como Santo Daime e Jurema. Contudo a ciência tem se debruçado sobre a utilização medicinal desse chá.

De acordo com o que afirma a pesquisadora Fernanda Palhano, que defendeu este ano sua tese de doutorado com base nesse teste, orientada pelo professor Draulio Araújo, a maior parte das pessoas que tomou a ayahuasca apresentou melhora nos sintomas depressivos. Segundo ela, foram 64% dos pacientes que beberam o chá com melhora clínica em até sete dias após o experimento.

“Fizemos o que se conhece por ensaio clínico duplo cego randomizado. Isso significa pegar um grupo de pacientes, dividi-lo ao meio e de maneira aleatória separar os pacientes que vão fazer parte do tratamento que se quer testar, no nosso caso a ayahuasca, ou do grupo placebo. Além disso, nem pacientes nem pesquisadores sabiam qual a substância, ayahuasca ou placebo, estava sendo administrada, daí o termo duplo (para pacientes e pesquisadores) cego”, explica.

Para a pesquisa, foram selecionados pacientes que tinham depressão resistente ao tratamento. “Ou seja, pessoas que já tinha feito uso de diversos antidepressivos comerciais, mas que não tinham melhora do quadro depressivo. Além disso tínhamos um grupo de indivíduos saudáveis, que foram usados como controle”, detalha a pesquisadora.

Ao todo, 29 pessoas com depressão participaram da experiência, além das 50 pessoas saudáveis do grupo de controle. Entre os doentes, 15 receberam placebo e 14 a substância real.

Procedimentos

O experimento durava quatro dias. No primeiro dia, o paciente era submetido a uma série de avaliações, tais como entrevistas com psiquiatra, psicólogo, exame de ressonância magnética funcional.

Fernanda Palhano relata que a pessoa dormia no hospital enquanto fazia uma eletroencefalografia (método de monitoramento utilizado para registrar a atividade elétrica do cérebro) durante o sono. Pela manhã, eram coletadas amostras de sangue e saliva. Na mesma manhã, era feita a administração de uma única dose da substância (ayahuasca ou placebo).

“A sessão de tratamento tinha duração de aproximadamente 8 horas. Ao final da tarde o paciente era liberado para voltar para casa. No dia seguinte, ele retornava ao hospital e as mesmas avaliações do primeiro dia eram refeitas. Novamente ele dormia no hospital, e no outro dia, pela manhã, era liberado”.

O paciente retornava para consultas com o psiquiatra 7 dias, 14 dias e 1 vez por mês durante 6 meses após o tratamento.

“Nosso primeiro resultado é com relação ao efeito antidepressivo da ayahuasca, aos dados das escalas psiquiátricas que medem a gravidade da depressão. Vimos que logo no primeiro dia após o tratamento há uma diminuição significativa dos sintomas depressivos nos pacientes que beberam ayahuasca quando comparados aos que beberam placebo”, conta a pesquisadora.

Esse efeito, de acordo com Fernanda Palhano, permanece e é ainda maior 7 dias após o tratamento. “Com 7 dias, encontramos que 64% dos pacientes do grupo ayahuasca (nove pessoas) tem uma resposta clínica, enquanto que apenas 27% dos pacientes do grupo placebo (quatro pessoas) melhoraram”, afirma.

As informações obtidas nos exames realizados ao longo do experimento estão sendo analisados pelos pesquisadores do Instituto do Cérebro. De acordo com Fernanda Palhano, esses exames médicos ainda podem ajudar a compreender os mecanismos de ação da ayahuasca no organismo e o porquê de o chá ter o efeito antidepressivo mostrado nos testes. “Outra parte importante do trabalho é entender o que muda nesses pacientes com depressão quando comparados aos controles saudáveis”, acrescenta.

Segundo Fernanda Palhano, o próximo passo da pesquisa é ampliar a quantidade de pacientes tratados, e testar esquemas de tratamento de pacientes através da ayahuasca, não mais apenas ministrar uma dose do chá.

O estudo ainda não foi publicado, mas há uma versão em preprint disponível no link.

Vejam mais: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/pesquisas-testam-ayahuasca-no-tratamento-de-depressao-e-alcoolismo.ghtml