Category: Notícias

Só o que falta acontecer no Brasil: os militares brasileiros perder a guerra contra um mosquito

Aldo Rebelo: ministro explicou que 3,3 mil militares estão sendo preparados para aplicação de produtos químicos para matar o Aedes aegypti
Aldo Rebelo: ministro explicou que 3,3 mil militares estão sendo preparados para aplicação de produtos químicos para matar o Aedes aegypti

Segundo informações do governo federal de Dilma Rousseff, são 220 mil militares das forças armadas que vão participar amanhã (13) no combate a epidemia do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chicungunha, e por último, o assustador Zica vírus.

Em uma campanha denominada de “Dia Nacional de Mobilização para Combate ao Mosquito Aedes aegypti”, o governo federal vai tentar alcançar 350 municípios do país.

Nessa etapa, que o ministro definiu como de “mobilização, os militares serão deslocados para diversas cidades para distribuirão em diversas cidades para a ação. Nessa fase, haverá panfletagem e a presença de autoridades do governo.

A etapa do dia 13 é para mobilizar a população. “É preciso haver mobilização da população para que, permanentemente, removam-se das casas os focos de multiplicação dos mosquitos. O esclarecimento é importante para que cada família se mobilize permanentemente. Esse é o objetivo do sábado”, ressaltou o ministro da Defesa.

Uma observação nossa: o senhor ministro, não sabe que o Brasil inteiro já tem conhecimento de como se evita essa infestação; de que desde os anos noventa, no século passado, se gasta dinheiro conscientizando o povo por meio de publicidades.  A nosso ver, o que falta é punição para os que colocam em risco as vidas dos outros. Uma medida de urgência onde os brasileiros sintam no bolso em forma de punição aos que insistem em manter as condições favoráveis a procriação desse mosquito.

Ainda na reportagem a Exame, Aldo Rebelo explicou que os 3,3 mil militares estão sendo preparados para aplicação de produtos químicos para matar o Aedes aegypti e que mais 50 mil estão em treinamento.

Na ação de sábado, os militares baterão à porta das casas junto com os agentes do Ministério da Saúde, aplicando larvicidas em caixas d’água e demais reservatórios se necessário.

Os ministros, secretários executivos e outras autoridades federais também participarão da ação, que será realizada em vários estados. Aldo Rebelo participará da campanha em São Paulo, onde se encontrará com o governador Geraldo Alckimin, no município de Campinas.

Vejam o que diz o ministro Aldo Rabelo comparando o terror causado pelos islâmicos xiitas com o nosso mosquito. Digo nosso, por que pelo que parece, esse foi produzido no Brasil. (circula nas redes sociais)

“O mundo vive sob riscos, ou de saúde, de natureza política ou terror. O risco deve ser combatido com medidas eficazes, mas a humanidade não pode deixar de realizar suas tarefas de eventos internacionais por conta de riscos e ameaças, que devem ser combatidos.” Disse o ministro Aldo rabelo, em uma reportagem da Exame.

 

Baby do Brasil tenta agradar a Deus e ao diabo em festa gay e finda desagradando a todos

n-BABY-CONSUELO-large570

Escolhida para ser madrinha do Desfile das Kengas, tradicional bloco de travestis, drag queens e gays que ocorreu no último domingo do Carnaval de Natal (RN), a cantora Baby do Brasil foi vaiada durante o seu discurso.

Logo após cantar a clássica música Masculino e Feminino, do ex-parceiro Pepeu Gomes, cuja letra é considerada um hino libertário ao afirmar que “se Deus é menina e menina, sou masculino e feminino”, Baby declarou que “apesar das kengas [travestis], todo homem para mim é homem. O que talvez tenha faltado é uma boa mulher”.

Inconformado, o público majoritariamente composto por gays e travestis demonstrou repúdio total à declaração da artista, que precisou pedir para aumentarem o som do seu microfone para que pudesse continuar sua fala.

Baby tentou se explicar argumentando que convive com diversos amigos gays e que até “casaria com metade deles”. No entanto, o estrago já havia sido feito.

Para completar o papelão, a cantora recusou a tiara com a qual foi presenteada.

“A coroa é a única coisa que eu não vou poder colocar porque na minha cabeça tem uma coroa, a coroa do senhor Jesus”, disse ela.

Após ser alvo de críticas negativas, a cantora fez um post em seu Facebook para dizer que foi mal interpretada e se defender das acusações de homofobia e transfobia.

“Gente, acabei de receber de amigos uma declaração na internet e não poderia deixar passar em branco essa oportunidade, pois nada do que está sendo dito condiz com a verdade. Tenho amigos e amigas gays há anos, que são inclusive muito íntimos da nossa família. O que declarei foi que para mim não importa a escolha sexual, pois ela não invalida de um homem ser homem ou uma mulher ser mulher”, diz o texto.

Do Blog: Por que a artista Baby aceitou esse convite? Sou protestante, evangélico e trabalho muitas vezes no carnaval como repórter fotográfico. Não participo de evento carnavalesco como folião; sou contra a festa da carne! Mas aceitar participar de uma festa para ridicularizar os que convidaram, sejam gays ou héteros, foi uma atitude de falta de sabedoria cristã, e profissional. Mais sensato seria não ter aceito o convite. 

Quanto a declarar que só usa a coroa de Jesus, se era a intenção de protestar contra o pecado e pregar Cristo aos gays, ela escolheu um péssimo momento. Repito: muito imprudente a atitude e em nada glorifica a Cristo. O correto era não ter aceito o convite.

Veja o vídeo!

Brasil Post

Macaco armado com faca é contido por bombeiros na Paraíba

O Novo Jornal de natal fez publicação inusitada, onde um macaco foi contido pelo o corpo de bombeiros por está armado com uma faca peixeira.

Apresentação1

Uma guarnição do 4º Batalhão do Bombeiro Militar (4º BBM) da cidade de Teixeira (PB), na Paraíba, foi chamada para atender a uma demanda, no minimo inusitada. Um macaco-prego, carregando uma faca peixeira, “ameaçava” alguns moradores da cidade.

O caso aconteceu no dia 05 de fevereiro, mas só foi divulgado esta semana. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o primata entrou num restaurante da cidade e “furtou” a faca. O auxílio foi pedido após os funcionários do restaurante se sentirem ameaçados pelo pequeno animal. Ainda não se sabe a origem do animal.

Um vídeo feito por moradores mostra o animal percorrendo o telhado de imóveis da cidade paraibana.

Para alívio de Teixeira, o macaco foi desarmado pelos bombeiros. Segundo populares, o animal teria ficado agitado após tomar algumas doses de cachaça. 

Segundo informações do site Patos On Line, o primata foi levado para as dependências do 4º BBM até que as entidades ambientais paraibanas tomem as medidas cabíveis.

veja o vídeo!

ILP cria área de pesquisa e amplia oferta de cursos da pós-graduação para 2016

unnamed

A criação de uma área de pesquisa em Gestão Pública voltada à prática legislativa, com oficinas práticas, é apenas mais uma dentre as muitas novidades que o Instituto do Legislativo Potiguar (ILP) preparou para este ano letivo. Outra inovação é a oferta de três novos cursos de pós-graduação, com especialização em: Direito Público, Gestão de Pessoas no Serviço Público e Gestão e Planejamento Financeiro no Serviço Público.

“Com a área de pesquisa em Gestão Pública teremos oficinas práticas para a evolução dos conteúdos necessários ao engrandecimento do setor. Pretendemos desta forma estimular a produção acadêmica e lançar livros com os melhores artigos encontrados nas oficinas de trabalho”, afirma o coordenador do instituto, Carlos Russo.

De acordo com Carlos Russo, a grade de cursos para 2016 teve uma renovação de 45% em comparação com o ano anterior e o ILP está repetindo a oferta daqueles que são mais importantes na formação do dia-a-dia dos profissionais.

Os novos cursos de especialização terão edital publicado até o próximo mês e o processo seletivo será realizado em maio e junho. As aulas da primeira turma de aprovados nesta seleção terão início em agosto de 2016, enquanto que as aulas das turmas que já vêm cursando a pós-graduação se iniciam no dia 15 de fevereiro. Os demais cursos que o instituto oferece se iniciam no dia 22 do mesmo mês.

Os investimentos da Assembleia Legislativa na qualificação de servidores incluem, além da oferta de cursos de graduação e pós-graduação, a capacitação pessoal, palestras profissionais, capacitação técnica e oficinas. A Casa foi a primeira do país a oferecer mestrado. Em parceria com a UFRN, os servidores podem cursar o mestrado em gestão pública.

Ministério da Saúde confirma terceira morte pelo vírus da zika

G1 -O Ministério da Saúde confirmou a terceira morte pelo vírus da zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, no Brasil.

O paciente era uma jovem de 20 anos, do município de Serrinha, no Rio Grande do Norte. Ela ficou internada em Natal durante 11 dias com problemas respiratórios. A morte foi em abril do ano passado, mas o resultado dos exames saiu apenas agora.

 
ZIKA Vírus tornou-se preocupação mundial

 

No final de novembro, o Instituto Evandro Chagas confirmou o primeiro caso de morte pelo vírus da zika no Brasil. A vítima foi um homem que morava no estado do Maranhão. Segundo os especialistas, o paciente tinha lúpus, uma doença que afeta o sistema imunológico, e por isso não resistiu à zika.

O segundo caso de morte ligada ao vírus da zika foi o de uma menida de 16 anos, do município de Benevides, no Pará. O comunicado foi feito pelo ministério no dia 28 de novembro.

Ela morreu no final de outubro. Os dados mostram que os sintomas começaram em 29 de setembro, e que a coleta de sangue foi feita sete dias depois, quando o caso foi notificado, em 6 de outubro. Ela apresentou dor de cabeça, náuseas e petéquias (pontos vermelhos na pele e mucosas). “O teste foi positivo para o vírus, confirmado e repetido”, disse o ministério na ocasião.

A doença é transmitida pela picada dos mosquitos da família “aedes”, a mesma que transmite dengue e a febre chikungunya. A prevenção é evitar lixo acumulado e não deixar água parada como criadouro de mosquitos.

Casos de microcefalia
O Ministério da Saúde também confirmou no final do ano passado a relação entre o vírus da zikae o surto de microcefalia na região Nordeste. Na época, o Instituto Evandro Chagas, na capital paraense, encaminhou o resultado de exames realizados em uma bebê, nascida no Ceará, com microcefalia e outras malformações congênitas. Em amostras de sangue e tecidos, foi identificada a presença do vírus Zika.

A partir desse achado do bebê que veio à óbito, o Ministério da Saúde passou a considerar confirmada a relação entre o vírus e a ocorrência de microcefalia. Essa é uma situação inédita na pesquisa científica mundial. As investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante. Em análise inicial, o risco está associado aos primeiros três meses de gravidez.

2

 

Veja perguntas e respostas sobre o vírus da zika:

Como ocorre a transmissão?
Assim como os vírus da dengue e do chikungunya, o vírus da zika também é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

Quais são os sintomas?
Os principais sintomas da doença provocada pelo vírus da zika são febre intermitente, erupções na pele, coceira e dor muscular. A evolução da doença costuma ser benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente em um período de 3 até 7 dias. O quadro de zika é muito menos agressivo que o da dengue, por exemplo.

Como é o tratamento?
Não há vacina nem tratamento específico para a doença. Segundo informações do Ministério da Saúde, os casos devem ser tratados com o uso de paracetamol ou dipirona para controle da febre e da dor. Assim como na dengue, o uso de ácido acetilsalicílico (aspirina) deve ser evitado por causa do risco aumentado de hemorragias.

Qual é a relação entre o vírus da zika e a microcefalia?
A relação entre zika e microcefalia foi confirmada pela primeira vez no mundo no fim de novembro pelo Ministério da Saúde brasileiro. A investigação ocorreu depois da constatação de um número muito elevado de casos em regiões que também tinham sido acometidas por casos de zika.

A evidência crucial para determinar essa ligação foi um teste feito no Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado ao Ministério da Saúde no Pará, que detectou a presença do vírus da zika em amostras de sangue coletadas de um bebê que nasceu com microcefalia no Ceará e acabou morrendo.

Como a situação é muito recente, ainda não se sabe como o vírus atua no organismo humano, quais mecanismos levam à microcefalia e qual o período de maior vulnerabilidade para a gestante. Segundo o Ministério da Saúde, as investigações sobre o tema devem continuar para esclarecer essas questões.

Quais são as recomendações para mulheres grávidas?
O Ministério da Saúde orienta algumas medidas para mulheres grávidas ou com possibilidade de engravidar tendo em vista a ocorrência de casos de microcefalia relacionados ao vírus da zika.

Uma delas é a proteção contra picadas de insetos: evitar horários e lugares com presença de mosquitos, usar roupas que protejam a maior parte do corpo, usar repelentes e permanecer em locais com barreiras para entrada de insetos como telas de proteção ou mosquiteiros.

É importante informar o médico sobre qualquer alteração em seu estado de saúde, principalmente no período até o quarto mês de gestação. Um bom acompanhamento pré-natal é essencial e também pode ajudar a diminuir o risco de microcefalia.

Como é feito o diagnóstico da zika?
Ainda não há um teste padrão para diagnosticar a doença. “Como o zika é novo, não temos uma padronização nos testes. Para se ter certeza do diagnóstico, é preciso usar a técnica de PCR, que é complexa e não está disponível no mercado”, diz Rodrigo Stabeli, vice-presidente de Pesquisa e Laboratórios de Referência da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

No Brasil, somente três unidades da Fiocruz, além do Instituto Evandro Chagas, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, têm a capacidade de fazer esse exame. “Esses laboratórios têm a missão de desenvolver um método melhor de diagnóstico para suprir esse problema epidemiológico”, diz Stabeli.

Enquanto não existe um teste padrão, o diagnóstico nas regiões em que já se constatou a presença do vírus vem sendo feito por critérios clínicos.

Quais são as medidas de prevenção conhecidas?
Como o vírus da zika é transmitido pelo Aedes aegypti, mesmo mosquito que transmite a dengue e o chikungunya, a prevenção segue as mesmas regras aplicadas a essas doenças. Evitar a água parada, que os mosquitos usam para se reproduzir, é a principal medida.

Em casa, é preciso eliminar a água parada em vasos, garrafas, pneus e outros objetos que possam acumular líquido. Colocar telas de proteção nas janelas e instalar mosquiteiros na cama também são medidas preventivas. Vale também usar repelentes e escolher roupas que diminuam a exposição da pele. Em caso da detecção de focos de mosquito que o morador não possa eliminar, é importante acionar a Secretaria Municipal de Saúde do município.

Por enquanto, não existe vacina capaz de prevenir a infecção pelo vírus da zika.

Qual é a diferença entre dengue, chikungunya e zika?
Os vírus da dengue, chikungunya e zika são transmitidos pelo mesmo vetor, o Aedes aegypti, e levam a sintomas parecidos, como febre e dores musculares. Zika e dengue são do gênero Flavivirus, já o chikunguna é do gênero Alphavirus.

As doenças têm gravidades diferentes. A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina, dores musculares, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.

O chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre 10 e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras.

Já a febre pelo vírus da zika leva a sintomas que se limitam a no máximo 7 dias. Apesar de os sintomas serem mais leves do que os de dengue e chikungunya, a relação do vírus com a microcefalia e a possível ligação com a síndrome de Guillain-Barré tem trazido preocupação.

Caio Barbosa: Mangueira diz muito obrigada a Bethânia

cartão-pronto2 - Copia - CopiaO Carnaval teve uma tarde redentora com a vitória da Estação Primeira de Mangueira nos desfiles do Rio. Uma vitória incontestável em um dos melhores desfiles deste século, que devolve à galeria das campeãs do samba uma agremiação maiúscula que não podia mais ficar fora da festa.

A Mangueira estava há longos 14 anos sem vencer ( a última vez, em 2002, foi com o enredo Vou Invadir o Nordeste), apenas como coadjuvante de uma folia que, salvo raras exceções, terminava em Nilópolis (com a Beija Flor) ou no Morro do Borel (território da Unidos da Tijuca).

E Carnaval sem Mangueira é futebol sem bola. Não pode. A redenção não se deu apenas pelo resultado, ou por ser a Mangueira, mas pela forma como ele foi conquistado. Um título histórico, com a estreia de Ciganerey como intérprete, que se mostrou autêntico discípulo de Mestre Jamelão, o maior da história.

Uma conquista que teve a marca de um carnavalesco iniciante, Leandro Vieira, que também estreava na escola e no Grupo Especial. Ele foi brilhante na condução do enredo – sobre Maria Bethânia -, com fantasias e alegorias que dialogavam com a plateia como há muito não se via.

A Mangueira, cheia de caras novas, conseguiu um feito raro no Carnaval atual, unindo emoção à (quase) perfeição estética. O enredo mostrou Maria Bethânia como ela é, trazendo a Iansã, de quem é filha, e a religiosidade marcante da carreira da cantora para dentro da Sapucaí.

Quem foi ao Sambódromo não precisou ficar de olho no livrinho-roteiro da Liga das Escolas de Samba para entender o que cada ala tinha a dizer.  A comunicação direta com o público foi o ponto forte da escola. E é disso que o povo gosta.

E é isso que estava fazendo falta aos desfiles. A vitória da Mangueira, portanto, não foi apenas uma vitória da escola criada por gênios como Cartola e Carlos Cachaça. Foi a vitória do samba, do Carnaval. A vitória de quem ama uma das maiores festas populares do planeta. E que agora agradece muito à Estação Primeira e a Maria Bethânia por renovar essa paixão.

Anotem: o Carnaval deste ano fará escolas do Rio e carnavalescos repensarem seus enredos. Será uma revolução silenciosa, mas necessária para que os desfiles no Sambódromo voltem a encantar o público de todos os cantos. E a renovar este público, cada vez mais envelhecido e distante da razão de ser daquilo tudo o que se vê na passarela.

É bem verdade que aquela festa é, desde os anos 30, quando foi criada pelo genial Mário Filho, uma disputa por quesitos. Nunca foi um desfile de blocos. Sempre foi coisa muito séria. Mas, da segunda metade dos anos 90 para cá, parece que a regra havia mudado e o objetivo passou a ser apenas conquistar pontos e não o público.

A Mangueira foi além. Voltou ao passado. E com a força de um carcará, buscou todos esses pontos sem deixar de lado a emoção. Só temos a bater palmas e louvar a Menina de Oyá.  Para fechar com chave de ouro, falta apenas a lição dada pela Verde-e-Rosa pegar o trem na estação e chegar a Madureira, onde um talentoso carnavalesco chamado Paulo Barros fez sua morada, mas ainda não aprendeu que as estrelas da festa são as escolas. Discreto e competente, foi o que fez Leandro Vieira. E acertou na mosca. Se o tiro também acertou a Águia (da Portela), como se diz por aí, é para glorificar de pé. 

 

Caio Barbosa é jornalista e torce pela Beija-Flor

Correio 24Horas

Mangueira quebra o jejum de 14 anos e sai como campeã do carnaval do RJ

Apresentação1

Marina Araújo do G1, Rio de Janeiro

Terminou o jejum de uma das escolas de samba mais populares do Brasil: a Estação Primeira de Mangueira é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro. O último título tinha sido conquistado há 14 anos.

Em uma apuração apertada, a vencedora foi definida no último quesito, de alegorias e adereços, e por apenas um décimo de diferença. O enredo da escola homenageou a cantora Maria Bethânia.

A Mangueira quebrou um jejum de 14 anos sem vencer e o grito que estava entalado na garganta da comunidade.

O mestre-sala respirou aliviado. Ele e a porta-bandeira ousaram na passarela misturando o bailado com a dança dos orixás. “Oyá nos deu axé e abriu caminho para a Mangueira ser campeã”, disse Raphael Rodrigues.

A última vez que a Mangueira venceu foi em 2002 com um enredo sobre o Nordeste. Desta vez foi uma baiana a homenageada: a cantora Maria Bethânia.

“A Bethânia falou que só queria que a Mangueira ficasse feliz. A gente espera nesse momento que ela esteja muito feliz também porque a Mangueira está feliz”, disse o empresário Eduardo Teixeira.

“Eu sou uma cantora popular brasileira. Como eu, milhares de mulheres, rapazes, cantores deste país. E a Mangueira escolheu uma cantora. Acho isso muito nobre, muito bonito. A música ganhou muito”, contou Maria Bethânia.

A quadra lotou no final de tarde. Foi uma alegria sem fim. Não é para menos, a “verde e rosa”, uma das escolas mais tradicionais do Rio de Janeiro, venceu à base de muita emoção. Foi por um décimo.

O calor no sambódromo do Rio estava infernal e a disputa foi a mais acirrada dos últimos anos. Nota a nota. Entre as torcidas, muita tensão e reza.

Salgueiro e Mangueira seguiam empatadas até o último quesito, alegorias e adereços, quando a Mangueira virou e levou o título. A felicidade explodiu em verde e rosa.

A Mangueira foi a última a entrar na Avenida na segunda noite de desfiles e levou os 50 anos de carreira de Maria Bethânia para a Sapucaí. O desfile foi um passeio pela obra e religiosidade da cantora, filha de Yansã e menina de Oyá. Artistas, amigos e o irmão Caetano Veloso estavam lá.

Bethânia foi no último carro ao lado de duas afilhadas. Logo em seguida, o público tomou conta da Sapucaí, em um encerramento emocionante.

A Estácio de Sá foi rebaixada para o Grupo de Acesso e a Paraíso do Tuiuti subiu e vai desfilar no Grupo Especial de 2017.

Escola não foi favorecida por confusão, diz carnavalesco de campeã paulista

Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil
São Paulo - A escola de samba Império de Casa Verde venceu o Carnaval 2016 em São Paulo. A taça foi conquistada com 269,4 pontos. Este é o terceiro título da escola, que ganhou em 2005 e 2006 (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Império de Casa Verde venceu o carnaval de 2016 em São Paulo com 269,4 pontos. Este é o terceiro título da escola, que ganhou em 2005 e 2006Rovena Rosa/Agência Brasil

 

Campeã do carnaval 2016 em São Paulo, a Império de Casa Verde ganhou pela força da comunidade, avalia o carnavalesco da escola Jorge Freitas. Em seu primeiro ano à frente da agremiação, ele disse que a energia nas pessoas da escola ajudou a levar ao título e negou que a escolha tenha sido favorecida pela confusão durante a apuração das notas.

“Existe uma comunidade muito forte, que precisava de uma pessoa que os incentivasse, que mostrasse que eles seriam capazes. Eles são campeões. Deus me deu esse dom, e eu fiz com que eles se tornassem campões do carnaval 2016. É uma consagração não só do meu trabalho, mas da comunidade. Isso mostra que todas as escolas tem condição de apresentar grandes carnavais”, declarou.

A apuração do carnaval foi marcada por momentos de tumulto, sendo que a leitura das notas precisou ser interrompida diversas vezes. A confusão começou quando foram divulgadas as notas do quesito evolução. A Império de Casa Verde ficou sem nota de um jurado. Segundo o regulamento, a maior nota recebida no quesito foi atribuída à escola.

 São Paulo - Jurado do quesito Evolução esquece de dar nota e cria confusão na apuração do Carnaval de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Confusão na apuração do carnaval de SP

Integrantes das escolas rivais ficaram revoltados por acreditar que houve favorecimento. “O que a gente quer é justiça no carnaval, foi uma injustiça. Eu falo pelo carnaval, não aguentamos mais, somos todos decentes, trabalhamos o ano inteiro. Eu quero o bem do carnaval”, reclamou Marco Bianchini, diretor da Unidos de Vila Maria.

O carnavalesco da Império de Casa Verde discorda. “O jurado não favoreceu. Existe um regulamento que precisa ser cumprido. Independentemente de ter dado a nota ou não, a nota maior é atribuída, isso foi feito”, defendeu-se.

Prisão

Durante o tumulto, um diretor da Unidos de Vila Maria foi detido pela polícia por desobediência. O delegado Osvaldo Nico declarou que chegou a haver agressão a um policial. “O jurado deu nota baixa. Que culpa a polícia tem? Não foi a polícia que escolheu o jurado. Estão perturbando. Ele agrediu o policial, a polícia não vem aqui apanhar”. Após a prisão, a apuração prosseguiu, apesar do clima tenso.

999710-09022016-_abr1145 999711-09022016-_abr1149 999712-09022016-_abr1267 999715-09022016-_abr1282

 

Primeira a desfilar, Estácio leva à avenida enredo sobre São Jorge

24885917775_3cf40bfa47_k_1

Jornal do Brasil – Depois de cinco anos pesquisando a história de um dos santos mais populares do país, o carnavalesco Chico Spinosa viu o sonho realizado na avenida. Ele comemorou a recepção do público à Estácio de Sá, escola que abriu o desfile do Grupo Especial neste domingo (7) com um enredo sobre São Jorge.

“Acho que o Rio de Janeiro é devoto de São Jorge. Não só os componentes, não só os sambistas. A cidade do Rio de Janeiro tem por São Jorge como o primeiro”, declarou o carnavalesco após o desfile. Campeã da Série A, antigo grupo de acesso, no ano passado, a eswcola obteve o direito de subir neste ano para o Grupo Especial, considerado a elite do carnaval carioca.

Chiquinho, como é chamado, diz que a pesquisa sobre o santo deu trabalho, mas compensou. “Passei por tudo em busca de São Jorge. Viver esta experiência porque também sou devoto. Fiquei muito feliz em colocar São Jorge abençoando esta avenida para que tenhamos grandes carnavais”, completou.

Ao ver as arquibancadas populares da Praça da Apoteose, área de dispersão das escolas, aplaudindo e cantando o samba com a bateria ele ficou com os olhos cheios de água. “É muito bom. A gente fica emocionado. Estou voltando. Passei muitos anos fazendo carnaval em São Paulo e o que estou sentindo é que o Rio de Janeiro ainda me recebe de braços abertos”, ressaltou.

O ator e diretor Jorge Fernando chegou emocionado à Praça da Apoteose. Devoto de São Jorge, disse que poder representar o santo na abertura do desfile não teve preço. “Aprendi a ser devoto com a minha mãe. Nasci no mês de Jorge. Estou muito feliz. Teve uma energia muito forte”, destacou.

Problema no abre-alas

A Estácio de Sá entrou na avenida com a força da torcida no Setor 1 da arquibancada popular, mas logo os torcedores da escola ficaram apreensivos. O carro abre-alas, Berço da Civilização, que representava a Capadócia (região onde nasceu São Jorge), teve um problema na acoplagem das duas partes que compunham a alegoria e não andava.

As primeiras alas já iam no setor seguinte, enquanto a turma da força que são empurradores de alegorias tentava resolver o problema. O motorista Cláudio Luiz disse que tiveram que trocar o pino que juntava as duas partes por uma corrente. “Aí ele atravessou a avenida toda sem problema. Foi só trocar”, disse.

Ao ver que o trabalho deu certo, Cláudio, empurrador de carros da escola há 22 anos, comemorou o dever cumprido. “Temos que ter um plano B”, ressaltou. “Venho [ao sambódromo] só na Estácio. Sou estaciano. Sinto que é uma responsabilidade ter de empurrar o carro para ele chegar certinho no fim”, acrescentou Cláudio, empurrador de carros da Estácio de Sá há 22 anos.

Fotos do carnaval 2016

Grupo debocha da Pátria Educadora no Cordão do Boitatá
FOTO: PERLA RODRIGUES / G1

Carnaval 2016

Carnaval 2015 no Brasil. Imagem: Fotos sob licença Creative Commons.

carnaval-recife-polinda

Imagem Divulgação | Flicker Creative Commons - Bloco Coruja com Ivete Sangalo no Circuito Dodô | Foto: Raul Spinassé / Ag. A Tarde

Carnaval Rio de Janeiro - Sapucaí.  Foto: Osvaldo Rove.

Inquérito apura se Lula se envolveu em esquema de MPs, diz PF

lula_triste

Estadão Conteúdo De Brasília – Em ofício à Justiça Federal, o delegado da Polícia Federal Marlon Cajado afirmou que inquérito em curso na Operação Zelotes apura se mais agentes públicos estão envolvidos no suposto esquema de “compra” de medidas provisórias, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o secretário executivo do Ministério da Fazenda Dyogo Oliveira e a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra.

O documento foi enviado no último dia 2 ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em Brasília, para justificar críticas de advogados de que haveria um inquérito “paralelo” investigando os mesmos fatos já denunciados à Justiça.

O delegado argumentou que, embora já houvesse provas suficientes para denunciar dois ex-servidores públicos (Lytha Spíndola e Fernando Mesquita), “os demais documentos juntados aos autos apontavam para eventuais colaborações de outros servidores públicos para a consecução dos interesses da organização criminosa.”

“Buscando-se evitar conclusões precipitadas, fez-se necessária a instauração de novo procedimento policial tentar alcançar a verdade real sobre os fatos apurados, isto é, se outros servidores públicos foram de fato corrompidos e estariam associados a essa organização criminosa ou se esta estaria “vendendo fumaça”, vitimando-os e praticando tráfico de influência com relação aos mesmos, a saber, Erenice Alves Guerra, Dyogo Henrique e Oliveira, Nelson Machado, Luiz Inácio Lula da Silva”, afirmou o delegado.

Cajado alega que a denúncia contra parte dos investigados no caso das MPs, já aceita e convertida em ação penal, foi oferecida porque investigação a respeito era improrrogável por envolver pessoas presas. Ele explica que outro inquérito foi aberto para averiguar a possibilidade de “corrupção” dos outros servidores, pois ainda estava pendente a análise de várias provas, incluindo o material apreendido em computadores.

Lula já foi ouvido na Zelotes, mas na condição de informante. Ele era presidente quando duas das medidas sob suspeita foram editadas, a MP 471/2009 e a MP 512/2010. O filho caçula do petista, Luís Cláudio Lula da Silva, recebeu R$ 2,5 milhões de um dos lobistas presos na Zelotes, acusado de atuar em suposto esquema de corrupção para atuar nas normas. A PF suspeita de que os pagamentos possam estar relacionados à edição de uma terceira norma, a MP 627/2013 e também à compra de caças pelo governo brasileiro, naquele ano.

Questionado se o filho recebeu recursos como compensação por ter atuado em favor das MPs e da transação dos caças, o ex-presidente disse que as hipóteses são absurdas.

Erenice era “número 2” da presidente Dilma Rousseff quando a petista chefiava a Casa Civil. Mais tarde, a substituiu no comando da pasta. As MPs passam pelo crivo do órgão antes de ser editadas pela Presidência. Documentos da Zelotes mostraram que Erenice se associou em negócios a um dos investigados, José Ricardo da Silva, após deixar a Casa Civil. Ela nega irregularidades.

Dyogo e Nelson Barbosa, que foi secretário executivo da Fazenda na gestão Mantega, são citados em documentos apreendidos com os lobistas que intermediavam interesses de montadoras de veículos no governo e no Congresso. Eles também negam envolvimento em ilicitudes.

Propina

No ofício, o delegado afirma ainda que não há elementos suficientes, por ora, para remeter a investigação ao Supremo Tribunal Federal. No diário de um dos investigados, João Batista Gruginski, apreendido pela PF, há menção a suposto pagamento de propinas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), fora o ex-senador Gim Argello (PTB-DF). Congressistas, por lei, podem ser alvos de inquéritos criminais perante a corte suprema.

“A nosso ver, se trata e única menção de nome de parlamentares cuja corrupção em princípio não encontra amparo em outros documentos juntados aos autos, o que denota a prática de mais um crime de tráfico de influência atribuível aos acusados”, justificou.

Cajado não descartou, contudo, o envio do caso à “instância adequada” caso seja necessário.

O juiz Vallisney de Souza Oliveira decidiu, no entanto, nesta quinta-feira (4) manter o caso na 10ª Vara, mas vai remeter para análise do STF os documentos com as menções aos senadores e também os argumentos do delegado. Caberá à Corte decidir se há necessidade de avocar a investigação.

Caern suspende abastecimento de água em 11 bairros de Natal

cartão-pronto2 - Copia - CopiaG1 –  A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) vai interromper, a partir deste sábado (6), o fornecimento de água no bairros do Alecrim, Barro Vermelho, Cidade Alta, Lagoa Seca, Petrópolis, Pirangi, Ribeira, Rocas, Santos Reis, Tirol, e praias do Forte até Areia Preta e Mãe Luíza, todos em Natal. A suspensão é necessária em razão de um serviço de manutenção na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Jiqui.

Ainda de acordo com a Caern, o fornecimento de água será retomado logo após o término do serviço, que deve durar até 24 horas. Já a previsão para que o abastecimento esteja totalmente normalizado, é de 48 horas.

Agora é verdade: bandido que matou Karol vai ser beneficiado e solto com novas medidas judiciais

12439263_873560192765453_461732973326730774_n
Karol foi morta na tarde do dia 10 de janeiro, quando fazia caminhada na Avenida Itapetinga, acompanhada de sua irmã.

Saiu agora em um dos telejornais de Natal, que o bandido que matou Karol foi beneficiado pela lei que julgou hoje (03), nas audiências de custódias, onde foram beneficiados 324 presos com alvará de soltura.

Está sendo inútil o clamor das famílias que perdem seus entes queridos, por causa de uma lei criminal que é de 1946 e 1973.

Todos lembram de que quando o Brasil foi tri-campinho no ano de 1970, a música que fez sucesso em todo o mundo, foi “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, salve a seleção…”.

P1020165
População e familiares fizeram protesto em favor da justiça; mas seus gritos não foram ouvidos.

Hoje somos mais de 200 milhões de habitantes respondendo a uma lei que foi feita para um país em acedência. Com uma população ordeira e pacata como era naquele período.

173364
Cláudio Moura é o assassino de Karol

Com se sentir seguro com criminosos a soltas?

A população precisa aprender a cobrar na direção correta: a mudança das leis pertence ao Congresso Nacional, composto pelos deputados federais e pelos senadores, e sancionadas pelo presidente da Republica do Brasil. Então, é em vão você gritar contra a polícia, quer seja militar ou civil; contra vereadores e prefeitos; e contra deputados estaduais e governadores. Mas, podemos cobrar desses políticos da terra, mais próximos, como os vereadores e deputados estaduais; prefeitos e governadores, que tenham compromissos de só apoiarem deputados federias e senadores comprometidos com mudança nas leis criminais.

Não podemos sofrer esse tipo de justiça, onde se mata um jovem inocente, e o bandido ganha uma tornozeleira para ser apenas monitorado sua condição de ir e vir. E a vítima? Ai as autoridades quer que se faça a justiça com as próprias mãos; o que não é justiça.

Chuvas “ressuscitam” a paisagens da caatinga

Robson Pires fez publicação com fotos da Fotos: vereador Jânio Barra.
Robson Pires fez publicação com fotos do vereador Jânio Barra.

As sucessivas chuvas no Rio Grande do Norte mudaram a “cara” da caatinga. Galhos secos e retorcidos florescem e tornam o ambiente mais verde, trazendo vida após uma grave seca que se arrasta há anos nos estados nordestinos. Com as chuvas, agricultores já começam a fazer novos plantios e criando a esperança de novas colheitas e alívio ao homem do campo. Um dos cenários “ressuscitados” foi a cachoeira da Carapina, em Felipe Guerra.

Raio-X mostra ossos partidos de garota vítima de bala perdida no RN

Anderson Barbosa do G1 RN

Um dos ossos foi despedaçado; o outro, quebrado, conforme mostra o raio x do antebraço da adolescente (Foto: Divulgação/Família)
Um dos ossos foi despedaçado; o outro, quebrado, conforme mostra o raio x do antebraço da adolescente (Foto: Divulgação/Família)

O tiro que atingiu o antebraço esquerdo da estudante Sabrina Bezerra, de 17 anos, vítima de uma bala perdida na noite deste sábado (30) no alto do 17º andar de uma apartamento residencialno bairro de Nova Parnamirim, na Grande Natal, fez um grande estrago. Ao transfixar o braço, o projétil despedaçou parte do rádio e partiu o cúbito, também chamado de ulna. Apesar disso, ela passa bem.

Sabrina Bezerra passou por uma cirurgia e continua internada. Em uma rede social, a adolescente escreveu: “Obrigada a todos que se preocuparam e peço que continuem rezando por mim e por nosso estado, que cada vez mais se encontra precário de paz”. Na mesma postagem, ela desabafa: “Tudo isso por uma confusão no trânsito! Onde vamos parar?? Quando o amor ao próximo prevalecerá no coração de cada um?”.

Sabrina Bezerra precisou de uma cirurugia no pulso (Foto: Reprodução/Facebook)

A adolescente estava em um dos quartos do apartamento ao lado de duas primas quando foi atingida. Segundo ela, o disparo foi feito durante uma briga de trânsito a poucos metros do edifício, em um cruzamento da Av. Abel Cabral. Dois homens discutiam quando um deles sacou a arma, apontou para o alto e puxou o gatilho. As primas se abaixaram assim que viram o homem sacar a arma. Sabrina continuou de pé, assistindo a briga. Após o disparo, a bala passou a poucos centímetros do rosto dela, acertando o braço que estava apoiado numa rede de proteção instalada na janela. A bala, depois de atingir e transfixar os ossos, ficou alojada no teto.

“Quando escutou a confusão ela disse: – gente, vem ver. A gente foi. Aí ficamos as três juntas, olhando. A gente viu tudo. Até a hora que o cara levantou a arma para cima. Na hora ela disse que só sentiu a pressão, que não viu que tinha um tiro”, relatou uma das primas.

Dona no apartamento, Elizabeth Bezerra é tia de Sabrina. Ela contou que as adolescentes entraram em pânico após o disparo. “Elas começaram a gritar… ai, tia, tia, tia… pelo amor de Deus. Sangue… E eu desesperada, o que foi? o que foi? Ela disse: foi um tiro”, relembrou.

Elizabeth também contou que se mudou para o apartamento, em Nova Parnamirim, já para tentar escapar da violência. Segundo ela, há dois meses um filho dela foi assaltado e por pouco não foi morto. Ela conta que vendeu a casa e comprou o apartamento por acreditar que, no 17º andar, estaria longe da criminalidade. “Eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer no alto de um prédio. Pensei que aqui estávamos seguras. Mas não estávamos, né? Eu sei que foi fatalidade. Mas, é difícil, é difícil a gente aceitar uma situação dessa. É muito difícil”, lamentou.

As pessoas envolvidas na briga de trânsito, inclusive o homem que efetuou o disparo, ainda não foram identificadas. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim.