Category: Economia

Mais de 16 mil MEIs tiveram registro cancelado por inadimplência no RN

Para Ruth Maia, coordenadora de MEI do Sebrae, a exclusão desses empreendedores não terá reflexos na arrecadação nem no atendimento do Sebrae a esse público (Foto: Marco Polo/SebraeRN/Divulgação)
Para Ruth Maia, coordenadora de MEI do Sebrae, a exclusão desses empreendedores não terá reflexos na arrecadação nem no atendimento do Sebrae a esse público (Foto: Marco Polo/SebraeRN/Divulgação)

A inadimplência ou falta de parcelamento dos débitos fiscais junto à Receita Federal levaram quase 16,7 mil Microempreendedores Individuais (MEI) do Rio Grande do Norte a ter o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) cancelado. A informação é do Sebrae. No ranking de exclusão, o estado potiguar está entre os estados com o menor índice de cancelamento em números absolutos, ocupando a 18ª posição entre todas as unidades da federação. Em todo o país, 1,3 milhão de MEIs foram excluídos dessa categoria jurídica.

Em outubro, o Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM) divulgou a lista de CNPJ suspensos e alertou sobre o prazo para regularização, que terminou no dia 26 de janeiro. Foram cancelados os CNPJs de MEIs que não pagaram nenhuma guia mensal (DAS) referente aos períodos de apuração de 2015, 2016 e 2017 e não entregaram nenhuma declaração anual (DASN-SIMEI) referentes aos anos de 2015 e 2016.

Ainda de acordo com o Sebrae, o cancelamento dos CNPJs faz parte das estratégias do governo federal de atender melhor os negócios formalizados como MEI, no sentido de elaborar políticas públicas que ajudem no desenvolvimento dessas empresas. Os empreendedores irregulares foram notificados pela Receita Federal em outubro do ano passado para regularização dos débitos. Foram notificados aqueles MEIs que não fizeram nenhum pagamento do boleto mensal nos três últimos anos e que estavam com as Declarações Anuais do Simples Nacional (DASN-SIMEI) atrasadas.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/mais-de-16-mil-meis-tiveram-registro-cancelado-por-inadimplencia-no-rn.ghtml

Venda de carros novos cresce 13% em janeiro no RN; estado tem mais de 1,2 milhão de veículos

Venda de carros cresceu em janeiro, no RN (Foto: Divulgação/ Sincodiv/PR) 

A venda de carros novos no Rio Grande do Norte cresceu 13,3% em janeiro, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram emplacados 2.019 automóveis no primeiro mês do ano, além de 1.536 motocicletas. Entre todos os tipos, foram 3.742 veículos. O setor está animado e espera seguir uma tendência de boas vendas ao longo de 2018.

Segundo o Detran, o estado tem 1,23 milhão de veículos, dos mais diversos tipos, em circulação. Somente na capital, são 395,2 mil.

Para o presidente do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos (Sincodiv), o empresário Arnon César, vários fatores favorecem a retomada do setor, que teve uma queda considerável em 2016, em todo o país. Entre as principais, estão a retomada da confiança dos consumidores e a redução da taxa de demprego.

“A economia começa a caminhar, isso gera confiança. Com confiança, as pessoas compram, assumem compromissos. Elas ficam mais propensas a consumir”, considerou.

O empresário ressalta que o crescimento nacional, em 2017, foi de 9,4%, quando se esperava algo em torno de 4%. “Foi uma surpresa para todo o mercado e a previsão é que a gente permaneça nesse patamar. O estado acompanha, de certa forma, esse movimento nacional”, pontua.

Para Arnon César, o momento é de recuperação do mercado. Em 2016, ele comenta, o setor retroagiu cerca de 10 anos, em número de vendas. Nacionalmente, as vendas caíram de 3,6 milhões para 1,9 milhões de veículos.

“A base ficou muito baixa e agora está nessa fase de recuperação”, pondera.

Embora tenham registrado crescimento em janeiro, as concessionárias venderam menos que em dezembro do ano passado. Para o empresário, isso é resultado de uma sazionalidade. Isso porque o final do ano é mais vantajoso para os clientes, em alguns aspectos. É quando as pessoas recebem décimo terceiro e pagam IPVA mais barato na hora de emplacamento.

“Ele só vai pagar um duodécimo de IPVA no emplacamento. Muitas empresas fazem promoção e pagam esse IPVA para consumidor”, ressalta.

No estado, existem atualmente 56 concessionárias. As estimativas são de que o setor empregue diretamente cerca de três mil pessoas.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia

Previdência: campanha do governo ataca vantagens de servidores

O Presidente Michel Temer
O governo quer colocar a reforma da Previdência em votação este mês. No entanto, a contagem mais otimista aponta apenas 270 votos favoráveis, quando são necessários um mínimo de 308 (Walterson Rosa /Fotoarena/Folhapress)

Da Veja

governo federal estreará na próxima semana uma nova campanha de vídeos nas redes sociais em defesa da reforma da Previdência com foco no que chama de privilégios do setor público e a diferença no teto das aposentadorias de servidores e aposentados pela iniciativa privada.

Um, “alto funcionário público”, se aposenta com salário integral de 35.000 reais, enquanto o da iniciativa privada terá o teto da Previdência, de 5.645 reais.

O governo identificou em pesquisas recentes que, apesar de a maioria da população ainda não ser favorável à reforma, uma boa parte defende igualdade de regras entre a iniciativa privada e o serviço público, e tem batido no que chama de “privilégios”.

A reforma, no entanto, mexe apenas com a idade mínima de aposentadoria, que passaria a ser a mesma da iniciativa privada, de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens, já que desde 2013 os servidores se aposentam pelo teto do regime geral da Previdência.

Neste ano foi criado o fundo de previdência complementar dos servidores, para o qual quem entrou depois desse ano tem que contribuir para garantir a aposentadoria acima do teto. A reforma não mexe em quem entrou antes desse período.

Robinson Faria quer pagar 13º salário de 2017 em seis parcelas

Resultado de imagem para Robinson Faria
Foto: da Internet

Do G1RN

O governador, do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), fez uma nova convocação extraordinária à Assembleia Legislativa e enviou mais dois projetos de lei que devem integrar o pacote de medidas denominada “RN Urgente”, para recuperação financeira do estado.

Entre as propostas, está uma que autoriza que o Executivo a pagar aos servidores um abono de 12,43% sobre o valor do décimo terceiro de 2017. O décimo terceiro (com o abono) será parcelado em seis vezes e depositado junto com os salários a partir do pagamento de janeiro.

Nesta terça-feira (23), os deputados vão votar se acatam ou não a segunda convocação extraordinária do governo somente neste mês de janeiro. Na primeira, foram encaminhados 18 projetos ao Executivo. A maioria ainda está sob análise dos parlamentares, que recuraram votar as propostas em regime de urgência.

A ideia do Executivo é que os servidores que quiserem possam pegar um empréstimo em bancos oficiais que criem linhas de crédito especiais, e paguem à medida que o governo for pagando as parcelas.

“Ademais, as instituições financeiras poderão abrir linha de crédito com condições especiais aos servidores que assim o desejarem, para o crédito da gratificação natalina a que teriam direito em dezembro/2017. Dessa forma, o incluso Projeto de Lei é uma forma de o Estado do RN minimizar os efeitos da crise sobre os seus servidores, empregados, ocupantes de cargo em comissão e pensionistas, proporcionando-lhes saídas no difícil cenário econômicofinanceiro vigente no País neste momento”, disse o governador na mensagem 191/2018, encaminhada ao presidente do Legislativo, deputado Ezequiel Ferreira.

Deputados fazem mediação entre governador e Fórum dos Servidores Estaduais

Depois de seguir o trâmite das Comissões Temáticas da Casa e de ser amplamente discutidas, as mensagens governamentais 179 e 182 foram aprovadas pelos deputados na sessão plenária desta quinta-feira (18). A 179 trata da Lei Orgânica e o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Quadro de Pessoal da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Estado do Rio Grande do Norte (FUNDASE/RN), anteriormente denominada Fundac, e recebeu quatro emendas da sua relatora na CCJ, deputada Larissa Rosado (PSB).

A mensagem 182 permite a utilização, para pagamento dos benefícios previdenciários aos segurados do Regime Próprio de Previdência Social do Estado do Rio Grande do Norte (RPPS/RN) e a seus dependentes, das aplicações a vencer nele elencadas. Cumpre ressaltar que a proposta contempla a obrigação de retorno ao FUNFIRN, até o ano de 2040, mediante a transferência de bens imóveis de propriedade do Estado do Rio Grande do Norte.

Na discussão, vários deputados se posicionaram contra: Mineiro, Kelps Lima, Souza Neto, George Soares, Hermano Morais e Marcia Maia. O resultado da votação foi de 14 votos favoráveis e 9 contrários.

Na mensagem 179 a deputada Larissa Rosado encartou as seguintes emendas: pela não absorção da Vantagem Pessoal Nominalmente Identificada (VPNI); data da implantação do plano de cargos, trazendo a segunda parcela da implantação do plano, que é 40%, para o mês de outubro de 2018; emenda para que os técnicos contratados como cargos comissionados não sejam demitidos antes de que o Governo realize o concurso da fundação e emenda substituindo o termo subsídio por vencimento.

“A emenda deixa os servidores da antiga Fundac protegidos. Eles terão a progressão de carreira protegidos por essa emenda”, disse a relatora.

Funcionários da Potigás não serão prejudicados com a venda

Resultado de imagem para Potigás rn
Foto: da Internet

Segundo a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, os funcionários da Potigás não serão prejudicado com a venda da empresa ligada ao Estado. A venda pertence ao plano de emergência do RN Urgente”, que é para tirar o Estado da crise; e ainda acontecerá a venda de outras empresas estatais.

“Nós havíamos pedido diligência da matéria referente à Potigás porque havia uma dúvida para no caso de venda da parte do Governo se ia prejudicar o Programa Gás Mais. No entanto esse Programa é financiado pelo Idema, com recursos de taxas de licenciamento pagas pela Petrobrás, não havendo prejuízo para a sua continuação mesmo com a venda das ações da Potigás”, afirmou o relator da matéria, deputado Dison Lisboa (PSD). O relator encartou uma emenda apresentada pelo deputado George Soares (PR) que garante proteção aos funcionários concursados no caso da venda da Potigás.

Comissão de Finanças analisa projeto da Potigás e solicita diligência ao Governo

A recuperação fiscal e financeira do Rio Grande do Norte foi pauta da reunião da Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF) na tarde desta terca-feira (16), na Assembleia Legislativa. As duas matérias em pauta tratam da venda dos ativos da Companhia Potiguar de Gás (Potigás) e da revisão do Plano Plurianual do Estado (PPA) para o quadriênio 2016-2019.

Em análise, a mensagem 177, que trata da revisão do Plano Plurianual do RN, recebeu voto do relator e membro da CFF, o deputado Tomba Farias (PSB), pela admissibilidade da matéria que atende a uma exigência da Caixa Econômica Federal (CEF) para liberação dos R$ 600 milhões para o Rio Grande do Norte. “A matéria agora segue para a votação em Plenário para que os deputados se manifestem”, frisou.

Já a mensagem 186/2018, que trata da venda dos ativos da Potigás recebeu diligência em decisão unânime por parte dos membros da CFF, os deputados Tomba Farias, Dison Lisboa (PSD), Getúlio Rêgo (Democratas), José Dias (PSDB) e George Soares (PR), que preside a Comissão.

A recuperação do equilíbrio nas contas estaduais está baseada na Lei Complementar nº 159, de maio de 2017, que institui o Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e garante o reequilíbrio das contas governamentais, exigindo a transparência nas contas públicas, e a “solidariedade” entre os poderes, além da implementação das medidas emergenciais e das reformas institucionais determinadas no Plano de Recuperação elaborado pelo Governo do Estado.

Em discussão sobre a venda da Potigás, o deputado Getúlio Rêgo destacou o crescimento da receita da Potigás e a previsão para o biênio 2018/2019 com expansão progressiva da exploração da energia eólica e energia solar no Rio Grande do Norte.

O deputado Tomba Farias confirmou acompanhar o voto do relator e líder do Governo na Assembleia, o deputado Dison Lisboa (PSD), favorável à venda dos ativos da Potigás. “Temos hoje uma situação financeira muito difícil no Estado e o nosso entendimento continua sendo pela alienação dos bens. Esperamos consenso na matéria, mas entendemos a necessidade da urgência que trata a lei 159”, argumenta o deputado.

Durante a análise da matéria, os titulares da CFF questionaram artigos do projeto de lei que autoriza a alienação das ações da Companhia Potiguar de Gás (Potigás). Os questionamentos são referentes ao artigo primeiro, que autoriza a venda, e o terceiro parágrafo, que mantém os benefícios concedidos no Programa pelo Desenvolvimento Industrial pelo Incentivo do Gás Natural (RN Gás Mais).

O presidente da Comissão de Finanças, deputado George Soares (PR), questionou o futuro da empresa e dos contratos firmados com empresas do programa RN Gás Mais. Líder do Governo, o deputado Dison Lisboa (PSD) explicou que “todos os benefícios e isenções dos contratos já firmados serão mantidos”. De acordo com o parlamentar, a cada cinco anos é feita a revisão de incentivos e os contratos só poderão ser revistos nestas datas.

Dison explicou ainda que o regime previdenciário em atividade atualmente no Rio Grande do Norte precisa ser alterado – hoje, são 53 mil ativos e o mesmo número para os aposentados. O parlamentar também falou sobre o percentual de endividamento do Estado, que tem apenas 2,42% de comprometimento do orçamento líquido. “Enquanto isso, a Bahia tem 23%, Pernambuco tem 17%. Então, o Rio Grande do Norte ainda tem possibilidade de reequilibrar as contas públicas garantindo o pagamento desse apoio do Governo Federal”, frisa.

Menor inflação em 20 anos estimula a retomada da economia

dinheiro, real, moeda, inflação, ipca, juros (Foto: Thinkstock)
(FOTO: THINKSTOCK)

A menor inflação em duas décadas pode representar a consolidação de uma era de preços mais comportados no Brasil. Essa é a análise de economistas, após o IBGE divulgar ontem que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrou 2017 em 2,95%, menor patamar desde 1998 (1,65%), graças a uma queda sem precedentes nos preços dos alimentos. O resultado ficou abaixo do piso da meta do governo, fixada em 4,5%, com tolerância entre 3% e 6%. Assim, o Banco Central (BC) precisou emitir um comunicado inédito, explicando por que a taxa ficou tão baixa.

A expectativa do mercado é que os preços subam um pouco mais em 2018, e o índice oficial feche o ano em cerca de 4%. Mesmo assim, com dois anos de inflação baixa, a economia deve colher consequências positivas, como juros menores, estímulo ao consumo e ao crescimento. Mas o desafio na área fiscal preocupa. Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência, a reação de investidores preocupados com as contas públicas pode causar desequilíbrios na taxa de câmbio, com impacto sobre os preços.

 

Fonte: http://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2018/01/menor-inflacao-em-20-anos-estimula-retomada-da-economia.html

 

Salário mínimo terá em 2018 menor reajuste do Real

Resultado de imagem para Dinheiro
Foto: da Internet

Da Exame

Brasília – O reajuste do salário mínimo em 2018 será o menor desde a criação do Plano Real, em 1994. No último dia útil do ano, o presidente Michel Temer assinou decreto que eleva o mínimo em 1,81%, de R$ 937,00 para R$ 954,00. Além de ser o menor aumento em 23 anos, o reajuste será inferior à inflação acumulada nos últimos 12 meses pela primeira vez desde 2011.

O reajuste anunciado discretamente em um decreto presidencial surpreende ao trazer aumento menor que o sinalizado pelo próprio governo. Em agosto, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) previa aumento do mínimo para R$ 979,00 – aumento nominal de 4,48%. Uma semana depois, porém, o governo revisou a previsão para baixo e tirou R$ 10 do salário ao reduzir o valor para R$ 969,00 – o que indicaria aumento de 3,41%.

O valor anunciado na tarde desta sexta-feira, 29, porém, é ainda menor. Do valor revisado pelo próprio governo, foram retirados mais R$ 15. Portanto, o governo reduziu o novo mínimo que passará a ser pago aos trabalhadores em R$ 25 ao longo dos últimos meses.

Até a quinta-feira, 28, o menor reajuste anual do mínimo havia sido concedido em 1999, quando aumentou 4,62%. A inflação acumulada em 12 meses era, porém, menor que o reajuste: 3,14%. Por isso, apesar de pequeno, o reajuste garantiu aumento real de 1,48% aos trabalhadores e pensionistas naquele ano.

Desde então, o mínimo sempre teve aumento superior à inflação exceto em 2011, quando subiu 5,88% e ficou ligeiramente abaixo da inflação de 5,99%.

No Plano Real, o maior aumento nominal do mínimo ocorreu em 2003, quando o salário subiu 20%, ao passar de R$ 200,00 para R$ 240,00. Quando o real foi adotado como a moeda brasileira, em julho de 1994, o mínimo era de R$ 64,79.

No decreto assinado nesta sexta-feira, o governo também detalha o valor diário mínimo pago ao trabalhador que passará a ser de R$ 31,80 e a hora trabalhada, em R$ 4,34. Esses valores são usados como referência para os novos contratos intermitentes de trabalho – quando o empregado atua por hora ou dia e, por isso, deve receber pelo menos proporcional ao salário mínimo.

Governo do RN anuncia data de pagamento de 13º e salários de novembro e dezembro

 

O Rio Grande do Norte deverá receber R$ 600 milhões de ajuda financeira para pagar salários e 13º salário dos servidores estaduais, segundo informou o governador Robinson Faria (PSD) em uma publicação em rede social na manhã desta quinta-feira (21). O valor, de acordo com ele, foi acertado em reunião que acabou as 23h30 desta segunda-feira (20) no Ministério do Planejamento, em Brasília. Uma medida provisória deve ser publicada em até três dias úteis.

Apesar disso, o governo só deverá receber o recurso na primeira semana de janeiro, segundo Robinson Faria. “Estamos finalizando a parte técnica entre hoje e amanhã e eu espero que, no máximo, na primeira semana de janeiro, o dinheiro chegue ao Estado”, disse o governador.

Com isso, o governador disse que estado só deverá concluir o pagamento da folha de novembro até o próximo dia 29 de dezembro. O décimo terceiro salário, ainda de acordo com Robinson, só deve ser pago no dia 10 de janeiro e a folha de dezembro concluída até 30 de janeiro.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia

Classes D e E são 80% dos inadimplentes no cartão de crédito

Resultado de imagem para Cartão de Crédito
Foto: da Internet

 

Do G1RN

Os juros do cartão de crédito, que superam 330% ao ano, atingem principalmente os mais pobres. 80% dos que atrasam o pagamento da fatura fazem parte das classes D e E, que recebem até 3 salários mínimos por mês (até R$ 2.811), segundo levantamento da Boa Vista SCPC obtido pelo G1. Na outra ponta, a classe mais rica (A, com ganho mensal superior a 15 salários mínimos, ou R$ 14.055) concentra apenas 1% dos atrasos na fatura.

O gasto com itens de primeira necessidade é o principal uso que o brasileiro faz do cartão de crédito. Um estudo da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) com dados de setembro mostra que os alimentos aparecem na fatura de 50% desses consumidores. Em seguida, vêm os produtos de farmácia, consumidos por 37% (veja gráfico completo mais abaixo).

“Muitas vezes o cartão é a única forma de aquisição de bens e serviços possível para sobreviver”, diz a educadora financeira e diretora da Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial, Dora Ramos. Segundo ela, o desemprego e a renda mais baixa incentivam o uso do cartão como salário, ou seja, como fonte de receita, e não de dívida (crédito).

Quando isso acontece, o consumidor gasta o que não tem. Quando a fatura do cartão não é paga durante um ano, uma dívida de R$ 1.000 que entra no rotativo salta para mais de R$ 4.300 com os juros de 330% ao ano desta linha de crédito.

Se esse consumidor estivesse devendo em uma linha mais barata como o crédito consignado, cuja taxa é de 26,58% ao ano, a dívida seria bem menor, de R$ 1.265,80.

“É muito fácil perder o controle e não conseguir pagar a fatura “, diz Dora.

A facilidade para obter um número ilimitado de cartões, aliada à falta de informações a respeito das transações, são fatores que contribuem para o endividamento.

Pesquisas mostram, ainda, que o brasileiro tende a parcelar suas compras no cartão de crédito. De acordo com especialistas em finanças pessoais, tais hábitos multiplicam o risco de descontrole.

Veja, abaixo, um diagnóstico dos principais problemas que levam ao atraso nas dívidas do cartão, segundo especialistas ouvidos pelo G1:

  • Usar o cartão de crédito para fazer as compras básicas do mês;
  • Fazer um cartão somente para obter descontos em lojas;
  • Parcelar as compras quando é possível pagar à vista;
  • Utilizar vários cartões de crédito para aumentar o limite de gastos;
  • Acumular novas compras parceladas e esquecer das prestações já existentes;
  • Priorizar o valor da parcela e esquecer os juros da operação;
  • Pagar o valor mínimo da fatura (15%) quando há dinheiro suficiente para quitar o valor total;

Orçamento de 2018 tem deficit menor e salário mínimo de R$ 965

notas de reais
Leão: Mais de 2,2 milhões de contribuintes serão contemplados neste lote de restituição do IR (Vinicius Tupinamba/Thinkstock)

Da Exame

Aprovada com rapidez pelo Congresso Nacional na noite desta quarta-feira (13), a proposta orçamentária de 2018 (PLN 20/2017) é a primeira sob a Emenda Constitucional 95, que instituiu um teto para os gastos públicos. O Orçamento para o ano que vem conta com um crescimento de 2,5% da economia e com um salário mínimo de R$ 965 (o atual é de R$ 937). Os gastos com a Previdência Social ficam em R$ 585 bilhões, enquanto o pagamento com juros da dívida pública alcança R$ 316 bilhões.

Apesar de saudada por parlamentares de todos os partidos pela celeridade — e pelo clima tranquilo — com que foi aprovada pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) e pelo Congresso, a peça orçamentária recebeu duras críticas dos oposicionistas em razão dos cortes nos programas sociais.

O projeto vai à sanção prevendo um deficit primário de R$ 157 bilhões para o governo federal no próximo ano. O número é um pouco menor do que os R$ 159 bilhões determinados pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO, Lei 13.473/2017) como meta fiscal para o próximo ano.

 

Apesar da pequena melhora no deficit primário, o número só será atingido se forem aprovadas as propostas do governo que elevam a arrecadação e reduzem as despesas em 2018. Entre elas estão a ampliação da alíquota previdenciária dos servidores públicos (Medida Provisória 805/2017), o aumento do imposto de renda sobre fundos de investimentos fechados (MP 806/2017) e o fim da desoneração da folha de pagamento (Projeto de Lei 8456/2017). Somente essas três medidas representam uma receita de R$ 14 bilhões. 

 

Assistência social

Na reta final da votação do parecer de Leão, houve reivindicação de parlamentares para ele elevar recursos para algumas áreas, como as dotações para pesquisas da Embrapa, que receberam mais R$ 14 milhões, totalizando R$ 240 milhões, e para ações de assistência social. Neste último caso, a pressão foi para atender integralmente uma emenda da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, que destinava R$ 1,5 bilhão para custear Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

Estes centros prestam atendimento a famílias instaladas em áreas de maior vulnerabilidade e risco social. O dinheiro federal é repassado para estados e municípios. O relator-geral atendeu parte da emenda (R$ 300 milhões).

A deputada Carmen Zanotto (PPS-SC) disse que entendia a falta de recursos, mas advertiu o governo que será preciso fazer uma suplementação orçamentária ainda no primeiro semestre de 2018, pois o valor atendido não financia as despesas de todo o ano.

— Prefeito nenhum e secretário de Assistência Social nenhum vão dar conta dessa política sem mais recursos — disse.

A senadora Lúcia Vânia (PSB-GO) também alertou para a falta de recursos na assistência social.

— Em um período de desemprego tão elevado, precisamos fortalecer a assistência social do país.

Emendas parlamentares

As emendas individuais de deputados e senadores ao projeto somaram R$ 8,8 bilhões. Cada um dos 594 congressistas pode apresentar R$ 14,8 milhões em emendas. Eles direcionam os recursos para obras e serviços em suas bases eleitorais. Por determinação constitucional, metade do valor das emendas deve ir para ações e serviços públicos de saúde.

Comércio de Natal amplia horário de atendimento em dezembro

Resultado de imagem para Comércio do Midway Mall
Foto: da Internet

O comércio de Natal vai modificar seus horários de atendimento ao público durante o mês de dezembro para poder atender ao aumento da demanda dos consumidores nas compras de fim de ano, informou a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). As mudanças já começam na próxima semana, nos principais estabelecimentos da capital e seguem até o feriado de 1º de janeiro.

As grandes magazines localizadas no Centro da cidade e no Alecrim, na zona Leste, começam a abrir aos domingos a partir do próximo, dia 10. Alguns shoppings mudam seus horários já a partir da segunda-feira (11).

As grandes lojas do centro, como Riachuelo, Renner, C&A, Leader e Americanas anunciaram que vão abrir nos domingos das 8h às 16h. Segundo a CDL, os demais estabelecimentos abrem das 9h às 15h, com alguma variação em parte do comércio.

Durante a semana, o horário de atendimento durante a semana só deverá ser estendido na semana que antecede o Natal, do dia 18 a 22, das 08 às 20h.

Confira abaixo os horários dos shoppings

Natal Shopping

17 /12 (domingo) – 12h às 22h
18 e 19/12 – 10h às 22h
20 à 23/12 – 10h às 23h
25/12 – lojas e quiosques fechados
Alimentação e lazer facultativo
31/12 – 10h às 19h
01/01 – lojas e quiosques fechados
Alimentação e lazer facultativo

Praia Shopping

07 a 22/12 – 10h às 22h de segunda a sábado.
Domingos – das 15h às 21h.
23 e 30/12 – 10h às 18h
25/12 e 01/01 – lojas e quiosques fechados
Alimentação e lazer facultativo a partir das 11h

Partage Norte Shopping

Domingo 17/12 – 10 às 22h
18 e 23/12 – 10 às 23h
24/12 – 10 às 19h
25/12 – 11 às 22h – lojas e quiosques com abertura facultativa – lazer e alimentação abertos.
26 a 30/12 – 10 às 22h
31/12 – 10h às 19h
01/01 – lojas e quiosques com abertura facultativa – lazer e alimentação abertos.

Shopping Cidade Jardim

De 11 a 17/12 – 9h às 22h
De 18 a 23/12 – 9h às 23h
24/12 – 9h às 19h
25/12 – Fechado
De 26 a 30/12 – 9h às 22h
31/12 – 9h às 18h
01/01 – Fechado

Via Direta

Domingos (10 e 17) – lojas, boxs e quiosques: 14h às 20h.
Alimentação: 12h às 22h
Do dia 11 a 23/12, nos dias de semana – lojas, boxs e quiosques abertos das 09h às 21h (facultativo até às 22h)
Alimentação: 09h às 22h
24/12 – Lojas, boxs, quiosques e Alimentação – 12h às 18h (facultativo até às 19h)
25/12 – totalmente fechado.
Do dia 26 a 30/12
Lojas, boxs e quiosques: 09h às 21h
Alimentação: 09h às 22h
31/12 – Lojas, boxs, quiosques e alimentação – 12h às 18h (facultativo até às 19h)
01/01 – totalmente fechado

Midway Mall

18 a 23/12 – 10h às 23h
24/12 – 10h às 19h
25/12 – abertos apenas a Praça de Alimentação e Lazer de 11h às 22h em regime facultativo e o Cinemark conforme sua programação. Todas as demais lojas fechadas.
31/12 – 10h às 18h
01/01 – Funciona apenas o Cinemark. A portaria G5 ficará aberta para receber os clientes do cinema. Restante das lojas fechadas.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/comercio-de-natal-amplia-horario-de-atendimento-em-dezembro.ghtml

Aplicativo potiguar de consultas médicas se consolida no mercado nordestino

Em operação há pouco mais de um mês, o aplicativo Bomédico, desenvolvido pela empresa potiguar Global Gapps Markerting, que facilita o agendamento de consultas médicas virou referência no Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará,  Pernambuco e iniciando os trabalhos em Alagoas tem sido elogiado tanto por médicos, quanto por pacientes.
O aplicativo faz parte de uma plataforma de agendamento e gerenciamento de consultas que tem por objetivo promover uma maior agilidade na marcação, no gerenciamento das consultas e no relacionamento com os pacientes, reduzindo o tempo de espera nas consultas. Entre os benefícios diretos para os médicos estão: a disponibilidade da agenda, aumento na participação do mercado, criação de um canal de relacionamento direto com os pacientes (via atendente), preenchimento e organização da agenda, aumento do número de atendimentos e a redução dos custos administrativos.
O diretor da Global Gapps, Rilton Campos, contou que, mesmo com o curto prazo de tempo, quase 100 médicos de diversas especialidades, além de profissionais da área da saúde como odontologistas, nutricionistas e fisioterapeuta já estão cadastrados.
“Nós invertemos o processo. Na nossa plataforma o médico passa a oferecer a sua agenda. Isso permite que o cliente baixe o aplicativo gratuitamente e possa localizar imediatamente aquele profissional que ele quer naquele dia com alguns filtros como localidade, especialidade, subespecialidade e gênero”, contou.

Irregularidades em terminal marítimo interrompem carregamento de sal no RN

Porto-Ilha, no RN, é o único terminal salineiro do mundo que funciona sobre uma plataforma instalada no meio do oceano (Foto: Anderson Barbosa/G1)
Porto-Ilha, no RN, é o único terminal salineiro do mundo que funciona sobre uma plataforma instalada no meio do oceano (Foto: Anderson Barbosa/G1)

O carregamento de sal marinho a partir do Porto-Ilha, terminal marítimo que fica a 14 quilômetros de Areia Branca, no litoral Norte potiguar, está parado desde a sexta-feira (1º). A interrupção foi confirmada na manhã desta segunda (4) pela Companhia Docas do Rio Grande do Norte. Em nota, a Codern explicou que o terminal parou de operar em razão de irregularidades na documentação e sinalização da plataforma, fato constatado em inspeção feita pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Segundo o Sindicato da Indústria de Sal do RN, apenas um navio, que já estava no meio do processo, concluiu o carregamento ainda na sexta. Desde então, o terminal está parado. Diretores do sindicato estão em natal, na sede da Codern, aguardando um posicionamento da companhia para solucionar os problemas.

A Codern disse que está empenhada em solucionar o problema. “As pendências listadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego relacionadas ao Terminal Salineiro de Areia Branca não envolvem aspectos estruturais, dizem respeito em sua maior parte à questões documentais, que já estavam em pleno encaminhamento de solução e estão em fase conclusiva”, afirmou.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/irregularidades-em-terminal-maritimo-interrompem-carregamento-de-sal-no-rn.ghtml