Author: Foto Repórter

Parlamentares acusam Janaína Paschoal de fazer justiça seletiva

Janaína: choros e a mesma argumentação de que operações contábeis justificam a derrubada de Dilma
Janaína: choros e a mesma argumentação de que operações contábeis justificam a derrubada de Dilma

Rede Brasil – Depois de dez horas de sessão, os parlamentares e cidadãos que acompanharam até o final a reunião da comissão de impeachment do Senado, encerrada na madrugada de hoje (29), ficaram com a sensação de que existe, sim, entre os senadores, maioria favorável à admissibilidade do afastamento da presidenta Dilma Rousseff. Mas a reação dos que são contrários ao impeachment é bem diferente da observada na Câmara dos Deputados e mostra que, nesta segunda Casa legislativa, o clima é de enfrentamento à denúncias de que Dilma tenha praticado crime de responsabilidade.

Se nos depoimentos na comissão da Câmara, no início do mês, os deputados tentaram contestar argumentos da jurista Janaína Paschoal – uma das autoras do pedido de impeachment – trocando farpas uns com os outros, procurando aparecer para a TV e até fugindo do tema em discussão, na sessão iniciada ontem os senadores praticamente encurralaram a advogada em determinados momentos.

Eles citaram pontualmente itens do texto de autoria de Janaína – feito em conjunto com os juristas Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo,– a criticaram por fazer o que chamaram de “justiça cívica seletiva”, contestaram um suposto envolvimento dela com o PSDB (que ela negou) e até a responsabilizaram por fazer parte da campanha que insufla na população o ódio e os gestos de intolerância entre favoráveis e contrários ao impeachment.

A jurista e professora de Direito da Universidade de São Paulo (USP), embora tenha mostrado determinação e coragem para responder às perguntas sem se esquivar, não conseguiu esconder o nervosismo. Chorou mais de uma vez, chegou a pedir o impeachment de Dilma “em nome das crianças brasileiras”, pediu várias vezes para sair da sala e se confundiu, ao misturar respostas a questionamentos dos senadores com experiências pessoais e mensagens recebidas pela população que nada tinham a ver com a reunião.

‘Mãe de santo ou pastora’

Entre as passagens em que chorou, destacaram-se os relatos da emoção sentida ao assistir uma entrevista em que Dilma disse que, quando criança, queria ser bailarina. E ao falar de famílias brasileiras que passam por dificuldades – brasileirinhos e brasileirinhas que precisam acreditar no livro sagrado que é a Constituição”, frisou – e quando descreveu o futuro que quer para seus alunos, “muitos com idade para serem meus filhos”.

A professora também demonstrou certo deslumbramento  quando repetiu insistentemente que tem “recebido vários e-mails” de pessoas que nem sequer conhece, tem sido atacada publicamente das mais diversas formas, já perguntaram se era “mãe de santo ou pastora” (por causa de discurso feito em manifestação no mês passado pelo impeachment, em São Paulo) e contou que a mandam até “arrumar melhor o cabelo”.

“A senhora fala aqui tão afirmativamente sobre crime de responsabilidade cometido pela presidenta Dilma, mas num contexto totalmente político. Não admite sua ligação partidária com qualquer legenda, mas sabemos que trabalhou em governos tucanos e que recebeu R$ 45 mil para fazer parecer sobre o caso para o PSDB”, acusou a senadora Vanessa Graziotin (PCdoB-AM).

A jurista respondeu a Vanessa, dizendo que “o assunto tem a ver com a minha honra”. Contou que foi paga pelo PSDB “justamente por não ter ligações com o partido” e que o que fez foi um parecer sobre a situação política, para avaliar se poderia levar ou não ao impeachment. Destacou que o pedido de impeachment que assina, entretanto, partiu de posição pessoal sua, ao lado de Bicudo e Reale, depois de perceber que “nada estava sendo feito”, e não do parecer elaborado para o PSDB.

Contradições

Já Gleisi Hoffmann (PT-PR) confrontou diretamente a professora e indagou: “me mostre qual a lei, qual o artigo, qual o inciso que diz que a publicação dos decretos assinados pela presidenta é ilegal”. Janaína citou a lei de Responsabilidade Fiscal e a Constituição, no que foi rebatida por Gleisi, que afirmou que os critérios determinados para que exista previsão de admissibilidade na proposta da meta fiscal foram plenamente cumpridos.

“Não me venha chorar e falar aqui em sentimento de justiça cívica coletiva quando sua justiça é seletiva. Enquanto a senhora reclama de atos cometidos pelo governo federal que não são ilegais, governos estaduais de São Paulo e do Paraná passam por situações dificílimas provocadas por ilegalidades e arbitrariedades dos governadores do PSDB. E a senhora nada tem a falar sobre eles”, destacou Gleisi, num dos mais duros embates da noite.

Ódio na população

O líder do governo, Humberto Costa (PT-PE), afirmou que é justamente o discurso insuflado pela jurista que tem levado ao ódio nas ruas entre militantes contrários e pró impeachment. E acrescentou: “A senhora é responsável por incentivar esse ódio entre a população e por situações patéticas como a sessão que votou a comissão de impeachment da Câmara, no último dia 17”.

Janaína tentou responder dizendo que, a seu ver, “quem insufla a separação entre os brasileiros é o PT”. Destacou que tem feito sua parte, procurando preparar os seus alunos para que sejam futuras pessoas a atuarem pelo Brasil, “inclusive ocupando cargos aqui no Congresso”.

A jurista foi defendida, nos momentos mais duros, por parlamentares da oposição, como Zezé Perrela (PSDB-MG), Magno Malta (PR-ES) e o líder tucano no Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). Eles criticaram a reação da base aliada, elogiaram a posição de Janaína e enfatizaram  que os embates tiveram como motivo “desconstruir o pedido de impeachment”.

Para completar, Janaína disse que, a seu ver, o vice-presidente, Michel Temer, não deveria ser incriminado por suposta prática de pedalada, porque os atos assinados por ele foram delegados pela própria Dilma. A professora repetiu, enfim, o recado que tem passado desde a formalização do pedido e já dito na Câmara. Mas saiu do Senado com a sensação de que, desta vez, suas explicações não foram aceitas nem acolhidas de forma fácil, como pensava (ou esperava).

Ezequiel propõe conjunto de ações para Serra de são Bento

unnamed

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), apresentou dois requerimentos com o objetivo de diminuir o problema da falta de pavimentação e drenagem nas estradas do estado. O primeiro sugere a realização de convênio entre o município de Serra São Bento e o Governo do Estado para pavimentação e drenagem de ruas.

“O Governo do Estado precisa levar investimentos como drenagem e pavimentação de ruas para o interior, que irão contribuir para valorização dos imóveis e para integração da comunidade”, destacou.

A segunda ação sugerida para melhorar as condições das vias do estado solicita a construção de uma estrada para interligar o município de Serra de São Bento até a divisa com o estado da Paraíba.

“A população, estimada em 5.833 habitantes, clama pela construção de seis quilômetros de extensão de uma estrada carroçável, em péssimas condições de tráfego. Esse trecho faz parte de uma estrada que liga o município potiguar ao estado da Paraíba, via a cidade de Araruna”, justificou Ezequiel.

Em outro requerimento, Ezequiel tenta corrigir o que ele classifica como “distorção” no conceito de distribuição de água no estado, solicitando um estudo de viabilidade técnica para iniciar a extensão da rede de distribuição de água, nas comunidades de Serra do Meio, Rajada, Jucá, Umari e adjacentes, localizadas na zona rural do município de Serra de São Bento, Agreste Potiguar.

Segurança e moradia

A construção de casas populares e o aumento do efetivo policial, assim como melhores condições de trabalho para a categoria, fazem parte do conjunto de ações requeridas para a população do município de Serra de São Bento. “O déficit habitacional é uma questão nacional, Porém, há cidades mais carentes que outras, e que precisam de uma atenção especial, como é o caso da Serra de São Bento”, reforça.

Validade da carteira de estudante 2015 é prorrogada no RN até 31 de maio

carteira

G1 – No Rio Grande do Norte, as carteiras de estudante 2015 terão a validade prorrogada até o dia 31 de maio deste ano. A decisão aconteceu após reunião do Ministério Público, Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU).

O MP explica que a problemática causada pela entrada em vigor da lei que trata da meia entrada foi um dos fatores para a prorrogação. “Com isso, esta decisão foi aprovada para que não sejam prejudicados estudantes e usuários do serviço de transporte público”, ressaltou.

Diante da decisão, as entidades estudantis terão que se adequar. Neste período de prorrogação, elas necessitarão demonstrar junto à 59ª Promotoria de Defesa do Consumidor o cumprimento das exigências estabelecidas pelo regulamento da lei.

Vale ressaltar que as entidades que comprovarem sua adequação dentro do prazo estabelecido terão suas carteiras consideradas inválidas.

Mais da metade dos casos que chegam ao Procon da Assembleia são solucionados

unnamed (7)

O bom atendimento à população e a qualidade no serviço traz números expressivos ao Procon Legislativo. O órgão de Defesa do Consumidor, vinculado à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, teve os serviços considerados excelentes por 93% das pessoas que procuraram a instituição para solucionar problemas relacionados à compra de produtos ou serviços. Dos casos que chegam ao órgão, 58% são solucionados através de conciliação.

“As atividades da Assembleia Legislativa crescem e se fortalecem a cada dia. O Procon da Assembleia cumpre sua missão de promover a proteção e defesa dos direitos dos consumidores. Cabe destacar que como instância de solução de conflitos individuais, o órgão, por meio das audiências de conciliação, tem obtido número expressivos em sua atuação. Os índices de acordos firmados permitem que menos ações batam às portas do Judiciário”, explica o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB).

Com uma equipe de 20 profissionais, o Procon Legislativo atendeu 1.392 casos entre janeiro e o fim de março. Em 2016, as queixas sobre atendimentos bancários, planos de saúde, telefonia móvel e compra de equipamentos eletrônicos têm sido os principais assuntos tratados pelo órgão de Defesa do Consumidor, que tem capacidade para realizar até 20 audiências por dia.

Segundo Dary Dantas, os formulários distribuídos às pessoas atendidas pela instituição mostram que 36% do público conheceu o Procon Legislativo através dos órgãos de Defesa do Consumidor de Natal e do Estado. Nesses mesmos formulários, onde também é questionada a qualidade do atendimento do Procon Legislativo, 82% deram nota 10, enquanto 11% avaliaram com nota 9.

“Os números mostram que estamos no caminho certo e que um serviço de qualidade faz toda a diferença, levando satisfação às pessoas que nos procuram já saturadas com a parte reclamada”, explicou Dantas.

Mesmo com a aceitação e aprovação dos serviços, o objetivo principal do Procon Legislativo nos próximos meses é melhorar o atendimento com a implantação no segundo semestre do Sistema de Informação Nacional de Defesa do Consumidor (Sindec), que é um banco de dados ligado ao Ministério da Justiça e que colabora na operacionalização das demandas do órgão. Atualmente, somente Minas Gerais tem o sistema implantado em uma unidade do Procon Legislativo.

Serviço
O Procon Legislativo funciona na Rua Jundiaí, nº 481, de segunda a sexta-feira das 8h às 12h, com telefones para contato 3232-2706, 3232-2707 e o Telefax 3232-2675.

Assessoria

‘Não estou satisfeito com a segurança pública’, diz governador do RN

download

O Governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, afirmou que não está satisfeito com a segurança pública do estado. Em entrevista ao RNTV 1ª Edição desta sexta-feira (29), o governador listou avanços alcançados durante sua gestão, mas reconheceu que o os resultados ainda não são os esperados.

“O governador está satisfeito com a segurança pública, com os resultados? Eu vou dizer que não estou satisfeito. A população está satisfeita? Eu reconheço que não está satisfeita, porque a segurança sempre será uma pauta permanente. Agora, tudo que está ao alcance de um governador, do governo do estado, nós fizemos”, declarou Robinson.

A segurança pública tem sido uma das principais cobranças da população com o governador. Além da sensação de insegurança relatada por vítimas da violência no estado, as fugas no sistema prisional reforçam as cobranças. Apenas este ano, 185 presos já fugiram de unidades prisionais do estado. Sobre o tema, Robinson afirmou que o governo irá criar, com recursos próprios, 1.800 vagas no sistema penitenciário.

Ainda de acordo com Robinson, o governo alcançou alguns avanços durante o pouco mais de um ano de gestão. “Além das promoções (de policiais), nosso governo paga diárias operacionais para que a polícia esteja na rua. Ainda demos um aumento de 18% para o policial militar e para o civil, criamos a divisão de homicídios (DHPP), que era uma promessa de campanha minha, as delegacias especializadas e implantamos o Ronda do Quarteirão, na região Oeste e na região de Mãe Luíza”, afirmou.

Promoção de policiais e concurso
Durante a entrevista, Robinson Faria também anunciou a promoção de 1.127 policiais militares. Segundo o governador, a valorização das categorias ligadas a segurança pública é uma das soluções para conter as ações criminosas. “Nosso governo, em pouco mais de um ano, já promoveu 5.300 policiais”.

Além das promoções, outra medida anunciada pelo governador durante a entrevista foi o lançamento de um concurso para a Polícia Militar. Segundo o Robinson, entre os anos de 2016 e 2017, serão efetivados até 4 mil novos PMs.

Do G1

Escola da Assembleia oferece curso de Direito Eleitoral nesta segunda-feira

unnamed (6)

Curso acontece nesta segunda-feira (2) e vai focar nas Eleições de 2016

Apresentar e discutir as principais regras incidentes sobre as eleições municipais de 2016, inclusive os pontos mais relevantes das minirreformas ocorridas em 2013 e 2015. Esse é o objetivo do Curso de Direito Eleitoral que será oferecido nesta segunda-feira (2) na Escola da Assembleia.

O curso será ministrado pelo advogado e juiz eleitoral Wladimir Rodrigues Dias, consultor da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, professor da Escola do Legislativo de Minas, doutor em direito público e mestre em administração pública.

Com duração de oito horas (das 14h às 22h), o conteúdo programático engloba modificações na legislação, candidatos, coligações, contas de campanha, propaganda eleitoral e condutas vedadas aos agentes públicos no período Eleitoral.

“Ao final da atividade, os participantes deverão reconhecer as principais regras aplicáveis ao processo eleitoral, bem como os comportamentos exigíveis em situações que costumam acontecer no período”, explica Dr. Wladimir Dias.

Para outras informações sobre o curso de Direito Eleitoral e demais oficinas oferecidas ao público, o telefone da Escola da Assembleia é 3201.6369. As vagas são limitadas.

Serviço
A Escola da Assembleia funciona na Rua Açu, 426, Tirol, Natal-RN. Os telefones para contato são o 3201-6369 e 3232-1001.

Assessoria

No RN, júri inocenta PMs da acusação de 22 mortes e grupo de extermínio

b86894eabb5193d980339d680f3b2ee1-e1454021395706Terminou em meio à madrugada desta sexta-feira (29) o júri popular de parte dos acusados denunciados pela operação Hecatombe, realizada em 2013 pelo Ministério Público e Polícia Federal, que acusa 18 pessoas de participação em 22 homicídios e cinco tentativas de assassinatos no Rio Grande do Norte. Entre os denunciados estão seis policiais militares e um ex-PM. Dos quatro acusados que sentaram no banco dos réus, apenas um foi condenado. O julgamento, que começou ainda na manhã da quinta-feira (28), foi realizado no Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, em Natal.

Segundo a advogada Kátia Nunes, foram inocentados os PMs Itagibá Maciel de Medeiros e Rubens Bezerra da Rocha, além do comerciante Moisés Severiano da Silva, que também foi absolvido. Já o vaqueiro Osvaldo Galdino da Silva, acabou condenado a pouco mais de 11 anos de prisão em regime fechado.

“Mais que inocentar os policiais militares, é importante destacar que o júri entendeu que não houve formação de grupo de extermínio. Estamos desmistificando essa história de grupo de extermínio em nosso estado. Para se dizer uma coisa dessas, tem que se provar”, comemorou Kátia Nunes, responsável pela defesa do policial Itagibá.

Os outros 14 acusados de envolvimento nos crimes aguardam julgamento em liberdade.

Operação Hecatombe
A operação Hecatombe foi deflagrada no dia 6 de agosto de 2013 e prendeu 18 pessoas, entre elas seis policiais militares e um ex-PM. Segundo a Polícia Federal, reponsável pelas prisões, durante as investigações foram encontradas provas do envolvimento dos acusados em um grupo de extermínio responsável por 22 homicídios consumados e outras cinco tentativas de assassinato. No total, ainda foram apreendidas 29 armas, entre revólveres, pistolas, espingardas e um fuzil. Além disso, mais de 11 mil munições também foram encontradas.

Uma delegada de Polícia Civil, um promotor de Justiça e um agente da Polícia Federal estariam marcados para morrer. As investigações também apontaram que o grupo cobrava entre R$ 500 e R$ 50 mil para executar as vítimas.

G1

Acusados de 22 mortes no RN começam a ser julgados nesta quinta

Operação Hecatombe foi deflagrada em 2013 (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)
Operação Hecatombe foi deflagrada em 2013 (Foto: Divulgação/Polícia Federal do RN)

G1 – Quatro homens, sendo dois deles policiais militares, começam a ser julgados nesta quinta-feira (28) em júri popular a ser realizado no Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, em Natal.Presos em 2013 durante a operação Hecatombe, investigação realizada pela Polícia Federal, os quatro fazem parte de um grupo de 18 pessoas acusadas de participação em 22 assassinatos e outras cinco tentativas de homicídio ocorridos no Rio Grande do Norte.

“O julgamento deve começar por volta das 9h. Mas, pela complexidade do processo, só deve terminar nesta sexta (29)”, disse a advogada Kátia Nunes, responsável pela defesa do PM Itagibá Maciel de Medeiros. Também começam a ser julgados nesta quinta o policial militar Rubens Bezerra da Rocha, o comerciante Moisés Severiano da Silva e o vaqueiro Osvaldo Galdino da Silva. Os outros 14 acusados aguardam julgamento em liberdade.

“O processo tem muitas falhas, erros que não dão segurança para uma condenação. Além disso, eu acredito na inocência de Itagibá”, afirmou a advogada.

Operação Hecatombe
A operação Hecatombe foi deflagrada no dia 6 de agosto de 2013 e prendeu 18 pessoas, entre elas seis policiais militares e um ex-PM. Segundo a Polícia Federal, reponsável pelas prisões, durante as investigações foram encontradas provas do envolvimento dos acusados em um grupo de extermínio responsável por 22 homicídios consumados e outras cinco tentativas de assassinato. No total, ainda foram apreendidas 29 armas, entre revólveres, pistolas, espingardas e um fuzil. Além disso, mais de 11 mil munições também foram encontradas.

Uma delegada de Polícia Civil, um promotor de Justiça e um agente da Polícia Federal estariam marcados para morrer. As investigações também apontaram que o grupo cobrava entre R$ 500 e R$ 50 mil para executar as vítimas.

Armas pertenciam a grupo de extermínio desmontado pela operação Hecatombe no RN (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
Armas apreendidas durante a operação

 

A operação foi realizada nos municipios de Natal, São Gonçalo do Amarante, Parnamirime Cerro Corá. Ao todo, participaram da ação 215 policiais federais, sendo que 30 deles são do Comando de Operações Táticas Especializado em Operações de Alto Risco, de Brasília.

Todos os presos foram autuados por crimes de homicídio qualificado praticado por grupos de extermínio e constituição de grupo de extermínio. As penas máximas dos crimes cometidos pelos principais integrantes do grupo, se condenados, podem chegar a 395 anos de prisão.

Nas denúncias oferecidas à Justiça, o Ministério Público concluiu que os motivos das execuções eram os mais variados e iam desde crimes encomendados, disputas pelo controle de pontos de venda de drogas, brigas, discussões e até mesmo a queima de arquivo com a eliminação de testemunhas de crimes.

Por unanimidade, CCJ aprova percentual de remanejamento do orçamento do Estado

unnamed (17)

Por unanimidade, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) aprovou em reunião extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira (28) a autorização para o Governo do Estado transpor, remanejar ou transferir dotações orçamentárias de uma categoria para outra, de um órgão para outro, num percentual de 6%.

“A CCJ cumpriu a importância do seu papel na análise da legalidade e da constitucionalidade, numa matéria de grande importância, em função da situação financeira que atravessa o Estado. Agora a matéria segue para o plenário da Assembleia Legislativa para a votação final”, explicou o presidente da Comissão, deputado Albert Dickson (PROS).

Na discussão da matéria, os integrantes da Comissão de Constituição, Justiça e Redação deixaram claro que o mérito do remanejamento será discutido no plenário. Os deputados entendem que o Executivo precisa informar como foi gasto o remanejamento de 10% incluído na peça inicial do Orçamento Geral para Este ano, o que corresponde a R$ 1 bilhão e 100 milhões e como vai ser gasto o percentual de 6%,  autorizado nesta quinta-feira,  o que representa mais de R$ 600 milhões.
Participaram da reunião os deputados Albert Dickson, Kelps Lima (Solidariedade), Dison Lisboa (PSD) Márcia Maia (PSDB), Galeno Torquato (PSD), Gustavo Fernandes (PMDB)  Carlos Augusto (PSD)

Presidente da Assembleia viabiliza transmissão do Prêmio Craque Potiguar 2016

unnamed (16)

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), assegurou a transmissão ao vivo pela TV Assembleia (canais 09, Cabo, e 50, sinal aberto), do evento Prêmio Craque Potiguar 2016, ao presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), José Vanildo, nesta quinta-feira (28), durante audiência no gabinete da presidência.

“A transmissão do evento que escolherá os melhores do campeonato estadual de futebol por parte da TV Assembleia vai coroar o esforço da FNF, dos clubes e dos torcedores que estão vivenciando o certame de 2016”, disse Ezequiel Ferreira.

No dia 09 de maio, receberão prêmios os 11 melhores jogadores, em todas as posições, o técnico, o árbitro, árbitro auxiliar, revelação, o craque do Campeonato, dirigente destaque, artilheiro e parceiros que apoiaram o Campeonato ser em 2016 uma temporada com mais patrocinadores.

A competição, que já tem aumento de 30% do público pagante em relação ao ano passado, terá os jogos finais nos dias 1 e 7 de maio, quando ABC e América, definirão quem será o campeão da temporada. Cada clube ganhará um carro Toyota, o Etios 0Km, no dia 9, premiação da FNF, avaliado em R$ 42 mil. Os carros equivalem à premiação para o campeão de cada turno.

CONCURSO –  A noite também será dedicada a um concurso da Musa do Futebol Potiguar. Oito candidatas disputam o prêmio de R$ 3 mil, valor que a vencedora receberá pela conquista. A votação continua no site da FNF (www.fnf.org.br) para definir a primeira finalista, mas os jurados no dia 9 definirão mais duas finalistas, além da campeã de 2016.

O presidente da Assembleia também aventou a possibilidade de que a TV Assembleia poderá inserir as transmissões dos jogos da 2ª Divisão do Campeonato Estadual na sua programação.

O diretor da TV Assembleia, Bruno Giovanni, presente na audiência, fará agora o planejamento para viabilizar a transmissão dos jogos da 2ª Divisão e fazer os ajustes na grade de programação da emissora.

O presidente da FNF, José Vanildo, enalteceu a possibilidade de transmissão do jogos da 2ª Divisão por ser o campeonato que reúne times com representações em cidades do interior e, além do jogo em si, a TV Assembleia poderá mostrar para o torcedor os pontos turísticos e culturais de cada uma destas cidades.

Márcia Maia propõe que processos licitatórios do Governo sejam gravados

unnamed (15)

A deputada estadual Márcia Maia (PSDB) apresentou na sessão plenária desta quinta-feira (28) o Projeto de Lei de sua autoria que propõe que todo processo licitatório realizado pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta seja gravado em áudio e vídeo e transmitido, por meio da internet, no Portal da Transparência do Estado.

“A publicidade e a moralidade são dois princípios que regem a administração pública. Faço um apelo para que possamos votar e aprovar esse projeto que vai permitir que a sociedade acompanhe a tramitação desses processos e verificar se os preceitos estabelecidos pela legislação estão sendo cumpridos”, afirma a parlamentar.

A deputada demonstrou preocupação com a transparência dos gastos do Governo com a aprovação do remanejamento do Orçamento do Estado pela comissão da Assembleia. “Temos problemas na Segurança Pública, fuga de presos, aumento no número de homicídios e queremos saber como serão gastos os recursos remanejados”, questiona.

O deputado Gustavo Fernandes (PMDB) concordou com a preocupação da deputada. “Os gastos precisam ser explicados a esta Casa, precisamos saber o que será feito com esses recursos”, disse o parlamentar.

Reunião
Márcia Maia e Dison Lisboa (PSD) também informaram que nesta sexta-feira (29) haverá uma reunião entre o Governo e representantes de policiais civis e servidores do ITEP sobre a aprovação do regimento do órgão. Márcia defendeu a participação dos deputados neste processo.

George Soares requer informações sobre projeto de saneamento básico de Porto do Mangue

unnamed (14)

Informações como a data de início da obra, valor total do projeto, valores liberados e empresa executora das obras de saneamento básico de Porto do Mangue estão sendo solicitadas pelo deputado George Soares (PR). O parlamentar solicitou detalhamento das informações à Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

“O saneamento básico do município vem sendo anunciado há anos e informações extraoficiais dão conta que parte dos recursos já foram liberados para a execução dos serviços, mas até o momento não temos uma ação aparente para viabilidade desta obra”, questiona o parlamentar.

Porto do Mangue está localizado na microrregião do Vale do Assu e conta com população estimada em 5.217 habitantes.

Marinha e FAB intensificam buscas por pescadores desaparecidos no RN

Navio-Patrulha Macau, da Marinha do Brasil, faz buscas pelos pescadores desaparecidos (Foto: Divulgação/Marinha do Brasil)
Navio-Patrulha Macau, da Marinha do Brasil, faz buscas pelos pescadores desaparecidos (Foto: Divulgação/Marinha do Brasil)

A Marinha do Brasil e a Força Aérea Brasileira intensificaram as buscas pelos dois pescadores que desapareceram na costa potiguar neste último final de semana. Manoel Anchieta Rodrigues, de 37 anos, e Francisco Antônio Rodrigues, cuja idade não foi divulgada, saíram para pescar na terça-feira da semana passada, dia 19, em uma jangada. Eles embarcaram na praia de Ponta do mel, no litoral de Areia Branca, na região da Costa Branca do estado, e deveriam ter retornado no sábado (23), o que não aconteceu.

A jangada, batizada de ‘Navegantes’, foi encontrada na segunda-feira (25) em uma praia de Icapuí, no Ceará. Desde então, a Marinha e o Corpo de Bombeiros iniciaram buscas pelos pescadores.

Nesta quarta-feira (27), segundo a assessoria de comunicação do 3º Distrito Naval, a Marinha utilizou o Navio-Patrulha Macau e a FAB enviou um avião para sobrevoar a costa do estado. Contudo, não obtiveram sucesso.

A Marinha informou que o navio continua no litoral e que as buscam seguem ao longo desta quinta-feira (28). “Até o momento, as equipes de resgate já percorreram uma área de 1.800 quilômetros quadrados”, acrescentou a assessoria do 3º Distrito Naval.

 Pescadores, Manoel Anxieta Rodrigues e Francisco Antônio Rodrigues são procurados  (Foto: Divulgação/Colônia de Pescadores de Areia Branca)
Pescadores, Manoel Anchieta Rodrigues e Francisco Antônio Rodrigues são procurados (Foto: Divulgação/Colônia de Pescadores de Areia Branca)

‘Descansar o coração’
A dona de casa Francisca Marcelina Nepomuceno, que é prima de Manoel Rodrigues, falou com oG1. Ela disse que a família está muito angustiada, a espera de receber notícias dos pescadores. “Na segunda-feira nós ficamos sabendo que ele teria sido resgatado e que estava em Fortaleza. Foi uma alegria só. Ficamos até gritando pela rua e agradecendo a Deus. Mas, a notícia era falsa. Isso é maldade que não se faz com nenhum ser humano. Agora, estamos muito tristes”, disse.

Manoel Anchieta não é casado e não tem filhos. “Fica a angústia porque ninguém acha ele em nenhum lugar. Nós queremos o melhor, mas também queremos descansar o coração de um jeito ou de outro”, desabafou.

Em sessão, criação da Escola da Assembleia é aprovada

unnamed (13)

O Instituto do Legislativo Potiguar (ILP), criado em 2003 e implantado em 2008 passa a se chamar, oficialmente, Escola da Assembleia. A matéria foi aprovada, por unanimidade, pelos deputados em sessão plenária nesta quinta-feira (28). A instituição é a primeira entre as Casas Legislativas a oferecer mestrado, além de cursos de pós-graduação, capacitação técnica e oficinas para servidores públicos e população em geral.

“A transformação do Instituto Legislativo Potiguar em Escola da Assembleia oportuniza a nova dinâmica que a instituição passou a ter com foco no Planejamento Estratégico. Mudamos a cultura política e priorizamos na educação e qualificação do servidor que possibilitará num futuro próximo implantar a meritocracia. E cabe ressaltar que novas parcerias irão trazer mais foco na grade dos cursos ofertados com foco nas atividades do Legislativo potiguar”, enfatiza Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa.

A atual gestão ampliou a atuação da Escola. O número de atividades acadêmicas passou de 54 para 259. Atualmente, são 7 programas de pós-graduação, atendendo 240 servidores. Uma parceria com a Justiça Federal possibilitou a especialização na área de Direito Civil e semestralmente são oferecidos 75 cursos/oficinas para qualificação profissional com foco nas atividades legislativas.

O mestrado em Gestão Pública é outro avanço da Escola da Assembleia, que tem servido de modelo para instituições de ensino ligadas ao Poder Legislativo de outros estados. A Escola também é referência ao atendimento à comunidade, seja com disponibilização de palestras e vagas nos cursos como em programas sociais. Este ano, o projeto “Poder da Cidadania” percorreu escolas públicas do Estado oferecendo oficinas para estudantes.

Ezequiel Ferreira recebe elogios por transformações na Escola da Assembleia

unnamed (12)
Ao finalizar a visita técnica à Escola da Assembleia, nesta quinta-feira (28), em audiência com o presidente da Casa Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), o diretor da Escola do Legislativo da AL de Goiás, Carlos Henrique Santillo, não poupou elogios a experiência potiguar. “A instituição pode ser considerada modelo de referência nacional pela qualidade e quantidade de cursos ofertados, tanto para servidores da Assembleia, como também para a comunidade em geral”, define Carlos Santillo que levará o modelo local para Goiás.

“As impressões de quem vem de fora reforça a certeza de que estamos no caminho certo. As transformações na Escola da Assembleia em um ano e três meses são expressivas. Passamos de 54 para 259 atividades acadêmicas. Somos a primeira Escola Legislativa do país a ofertar um mestrado profissional em Gestão Pública, ampliamos a pós-graduação para 7 programas, atendendo 240 servidores (sendo 20% de parceiros); há a pós-graduação em parceria com a Justiça Federal (Direito Processo Civil) e temos 75 cursos/oficinas, por semestre, para qualificação profissional com foco nas atividades legislativas”, elenca Ezequiel Ferreira.

O presidente da Assembleia explicou à comitiva de Goiás que o andamento das mudança na Escola de Governo seguem o Planejamento Estratégico implementado em fevereiro de 2015. “A partir dele foi possível ampliar em 5 vezes a oferta de cursos e reduzir em 68% o custo médio da atividade acadêmica”, salienta Ezequiel Ferreira.

Formaram a comitiva de Goiás: Carlos Henrique Santillo, (Diretor da Escola do Legislativo da AL de Goiás), Hernesto Lins Carneiro (chefe da seção administrativa), Miguel Gusmão (chefe da seção pedagógica) e Maurício Paranaguá (chefe de projetos especiais), que foram recepcionados pelo secretário geral, Augusto Carlos Viveiros e pelo diretor geral da Escola da Assembleia RN, Carlos Russo.

“Nosso principal objetivo com essa visita técnica é buscar informações e levarmos para a nossa Escola da Assembleia de Goiás a experiência da Escola da Assembleia daqui. Buscamos crescimento e, entre as Escolas de todo Brasil, tivemos referências da Escola do Legislativo do Rio Grande do Norte, que tem se destacado pela atuação. Estamos impressionados com a grade de cursos, a estrutura, a comunicação, a equipe de trabalho, a administração. Realmente, a nossa vinda está sendo bastante proveitosa”, destacou o diretor da Escola de Goiás, Carlos Henrique Santillo.

“A Escola da Assembleia cresce e se fortalece a cada dia. Neste primeiro semestre de 2016 estamos oferecendo 259 atividades acadêmicas, que incluem cursos, palestras, oficinas, pós-graduações e mestrado. São cursos de excelência, certificados e inteiramente gratuitos. Agora no mês de abril, atendendo a determinação do presidente da ALRN, deputado Ezequiel Ferreira, foi publicada mais uma portaria criando Oficinas Técnicas de Capacitação do Servidor da Assembleia Legislativa. O objetivo é melhorar a produção na administração pública”, explica

“Estamos impressionados com a quantidade de cursos oferecidos, a qualidade do trabalho e a abrangência. A Escola da Assembleia Rio Grande do Norte realmente tem muito para oferecer, inclusive para as demais Escolas Legislativas. Vamos levar muitas informações valiosas que vão nos ajudar a desenvolver a Escola da Assembleia de Goiás. Estão de parabéns!”, comentou chefe da Seção Administrativa da Escola de Goiás, Hernesto Lins.